Roteiro Chapada dos Veadeiros – 03 dias na Vila de São Jorge

Nosso roteiro Chapada dos Veadeiros foi perfeito para conhecer o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, e algumas cachoeiras próximas da Vila de São Jorge.

Resumo

Dia 1: Vila São Jorge, Como chegar, Onde se hospedar e Cachoeira Raizama.

Dia 2: Parque Nacional Chapada dos Veadeiros (Trilha dos Cânions).

Dia 3: Cachoeira dos Cristais.

————————————————————————————————————————————————————–

Roteiro Chapada dos Veadeiros – Dia 01

Dia de chegada na Vila de São Jorge, e visita à Cachoeira Raizama. 

Foram meses de ansiedade para que acontecesse essa viagem. Além do paraíso que já imaginávamos encontrar, reveria Nick um amigo querido de Brasília que não via há anos.

Nick foi mais que um companheiro de viagem, nos buscou no aeroporto, nos hospedou em sua casa, nos levou de carro até a Chapada e agitou todos os seus amigos de Brasília para fazerem a trip com a gente.

E no final ainda foi uma viagem inesquecível!

Vila de São Jorge

Uma pequena vila roots no meio da Chapada. 

Vila de São Jorge é uma vila que fica há 240km de Brasília e 33km de Alto Paraíso. A diferença entre Alto Paraíso e Vila de São Jorge é que Alto Paraíso é mais estruturada, asfaltada e tem até bancos.

Vila de São Jorge é toda de terra, tem estrutura turística, e é muito mais rústica e mística. São Jorge também é porta de entrada para o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, detalhe muito importante!

Roteiro Chapada dos Veadeiros
Vila de São Jorge
Roteiro Chapada dos Veadeiros
Vila de São Jorge

A Vila de São Jorge é um povoado de aproximadamente 800 pessoas, e foi criada por garimpeiros após a Segunda Guerra Mundial, quando aumentou-se a procura por cristais para fazer material bélico.

O fato é que São Jorge é rica em cristais de quartzo, o que também confere ao local seu clima místico.

Vila de Sao Jorge
Vila de São Jorge
Vila de Sao Jorge
Vila de São Jorge

Já a Chapada dos Veadeiros, é uma área enorme 65.514 ha de cerrado de altitude, que contempla as cidades de Alto Paraíso, Cavalcante, São Jorge, Colinas do Sul, Engenho, São João da Aliança e Teresina de Goiás. E foi incluída em 2001 na lista de Patrimônio Mundial pela UNESCO.

Como chegar em Vila de São Jorge

Opções de carro e ônibus. 

Vila de Sao Jorge
Vila de São Jorge

Fomos de carro para a Vila São Jorge, então seguimos para a saída norte de Brasília, sentido Planaltina. Ao chegar em Planaltina, 10 km depois, pegamos uma saída à direita seguindo a placa de Alto Paraíso.

Vila de Sao Jorge
Vila de São Jorge

Em Alto Paraíso, seguimos a placa indicando a entrada para São Jorge. Atualmente toda a estrada é asfaltada.

Mas para quem vai de ônibus de Brasília para a Vila São Jorge, existem 3 companhias com os seguintes horários:

  • Real Expresso

Brasília – Alto Paraíso diariamente – 10h / 21h

Alto Paraíso – Brasilia diariamente 13h15 / 01h30

  • Santo Antonio

Brasília – Alto Paraíso diariamente – 07h / 11h / 15h

Alto Paraíso – Brasília, diariamente – 07h10 / 10h / 15h

  • Sao José

Alto Paraíso – Brasília diariamente às 23h / Segunda, quarta e sexta-feira às 14h

Onde se hospedar em Vila de São Jorge

Opções diferentes de camping. 

Como São Jorge tem muitos campings, deixamos para conseguir um ali na hora, e escolhemos ficar no Camping e Bistrô Casa da Jia.

A vila tem alguns campings bastante famosos, como o Camping Taiwá e do Pedu. O Taiwá é um dos mais caros mas é demais, tem uma área de convivência aberta com camas e sofás, e direto promove festas que as vezes são abertas para o público.

Vila de Sao Jorge
Vila de São Jorge
Vila de Sao Jorge
Vila de São Jorge

Mas como não queríamos gastar mais de R$70 em diária em um camping, resolvemos ficar no Camping e Bistrô Casa da Jia por R$30.

E olha, foi o melhor camping que eu já tinha ido na minha vida!

Camping Casa da Jia
Camping Casa da Jia

Era arborizado, tinham 2 banheiros com chuveiro quente, são poucos mas davam vazão, e a cozinha era um quiosque com fogão a gás e uma mesa grande de madeira.

É fato que nosso grupo ocupou a cozinha. Mas tinha sido a melhor área de convivência de campings que já me hospedei.

Dali pegamos o carro e partimos para a Cachoeira Raizama.

Cachoeira Raizama

Um pequeno cânion com cachoeiras. 

As cachoeiras não ficam muito próximas da cidade, é necessário transporte e muitas vezes passar por estrada de terra. Então o ideal é ir de carro para a chapada.

A Cachoeira Raizama além de linda e deliciosa,  é conhecida também pelos shows e festas que acontecem no palco que fica na entrada de sua trilha.

Logo que você chega lá, você vê um palco com desenhos do Raul Seixas, Janis Joplin, Jimi Hendrix, e outros artistas.

Raizama Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Raizama
Cachoeira Raizama
Cachoeira Raizama

Para entrar na cachoeira é necessário pagar R$15.

A maioria das cachoeiras na Chapada dos Veadeiros são pagas. Já que são quase todas privadas, e precisam de preservação.

Raizama Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Raizama
Raizama Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Raizama
Raizama Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Raizama

E para chegar até a cachoeira, é necessário uma caminhada tranquila de 20 minutos.

Raizama Chapada dos Veadeiros
Raizama

Chegando lá nos surpreendemos com a cachoeira. Nunca tínhamos visto algo igual.

Era como um pequena de cânion, onde você podia nadar entre ele nas águas da cachoeira. Era linda demais!

Raizama Chapada dos Veadeiros
Raizama
Raizama Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Raizama
Raizama Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Raizama
Raizama Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Raizama

Em alguns pontos ela é bastante funda, mas em outros você consegue se apoiar em algumas pedras.

Na caminhada de volta pudemos assistir o pôr do sol através da flora do cerrado, foi lindo!

Raizama Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Raizama
Raizama Chapada dos Veadeiros
Pôr do sol no cerrado

————————————————————————————————————————————————————–

Roteiro Chapada dos Veadeiros – Dia 02

Dia de conhecer o Parque Nacional Chapada dos Veadeiros. 


Em nosso Roteiro Chapada dos Veadeiros, conhecer o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros era fundamental. 

Pegamos o carro do Nick emprestado e fizemos o trajeto de 1km até a porta do parque (não sabíamos que era tão pertinho da Vila de São Jorge assim, rs).

Vila de Sao Jorge
Vila de São Jorge
Chapada dos Veadeiros
Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é composto por uma área gigantesca de cerrado de altitude com formações vegetais únicas, centenas de nascentes e cursos d’água, e rochas com mais de um bilhão de anos.

Recomenda-se visitá-lo entre Maio e Outubro, durante a época de seca. Nos demais meses pode-se pegar bastante chuva.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

Você não paga nada para entrar no parque, mas precisa informar na portaria o seu nome, e qual trilha irá fazer, pois o número de pessoas no parque é limitado, veja os números aqui.

Neste dia decidimos fazer a Trilha dos Cânions.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

Além da Trilha dos Cânions, você pode fazer também a Trilha das Sete Quedas de 23,5km e nível muito pesado. Leva de 2 a 3 dias precisando dormir no parque.

A Trilha dos Saltos tem 11km ida e volta e passa pelo Mirante do Salto, de onde você vê uma cachoeira de 80m. E é de nível moderado a pesado.

E a Trilha da Seriema de 800m que chega até um córrego onde é possível tomar banho. Essa trilha é indicada para crianças, idosos e pessoas com problemas de locomoção.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

Decidimos pela Trilha dos Cânios que tem 12km de ida e volta e é considerada de nível moderado superior, pois ela é mais plana que a Trilha dos Saltos.

Nessa trilha conseguimos ver 2 cânions, a Cachoeira da Carioca e o Rio Preto que se divide em 2 quedas d’água.

As trilhas dentro do parque são bem sinalizadas. É muito difícil se perder nelas, e o caminho é bem determinado.

O mais difícil é a vegetação do lugar. A mata é seca, muito baixa, e dificilmente você vai encontrar algum ponto com sombra. Na ida fizemos a trilha em mais ou menos 3 horas.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

As cachoeiras que vimos eram maravilhosas, eu nunca tinha visto cachoeiras como aquelas.

Eram como a Cachoeira Raizama que tínhamos visto no dia anterior, mas com um tamanho muito maior! E podíamos tomar banho sossegados, pois haviam poucas pessoas no lugar.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

Parávamos nas cachoeiras e fazíamos nossos lanchinhos, conversávamos entre nós, e ficávamos nos indagando sobre coisas da vida. Foi bom demais.

O momento mais difícil foi na hora de voltar, acontece que estávamos no dia mais seco que a Chapada dos Veadeiros havia passado durante o ano, e sem nenhuma sombra já estávamos um pouco fartos e cansados da exposição ao sol.

Nossa água e nossa comida estava acabando, e começamos a correr durante a trilha para ver a entrada do parque o mais rápido possível. Voltamos em 2 horas e meia.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

Chegando na portaria do parque nos jogamos no chão frio, e ficamos a descansar enquanto ouvíamos conversas sobre pessoas que passaram mal dentro do parque, e sobre a falta de sombra que todos haviam enfrentado lá.

A seca é complicada, mas não impede ninguém de fazer a trilha.

A única indicação é levar MUITA água, passar bastante protetor solar, levar comida (por que lá não tem nada para comprar), e se puder, levar um sorine para espirrar no nariz. Você pode sofrer com a “secura” do lugar, rs.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

No final, o carro valeu bastante à pena para fazer a volta de 1km, haha.

De volta para a Vila São Jorge, encontramos com o pessoal, tomamos banho, descansamos um pouco, e decidimos curtir a noite com eles.

Estava tendo um show na praça, e não tinha quase ninguém assistindo. Ia rolar um forró no camping do Taiwá e alguns shows em restaurantes, mas decidimos ficar bebendo na praça.

Deu fome, e fomos comer uma “jantinha”, a coisa mais maravilhosa que eu descobri nessa Goiás.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

“Jantinha” é o que eles chamam de prato feito para nós paulistas, mas ela é muito mais completa. Vem arroz, vinagrete, mandioca, feijão tropeiro ou feijão branco (depende do lugar) e um tipo de carne, por exemplo, linguiça. E o melhor de tudo, ela não é cara!

Aliás, levamos mais comida do que o necessário para Vila de São Jorge, lá tem muita opção, e os preços não são exorbitantes. São até bastante acessíveis sendo uma cidade turística.

Outra coisa bastante comum lá é o creme de cupuaçú, o pessoal gosta bastante, mas não achamos grande coisa, haha. Depois de comer, beber, jogar conversa fora, e observar as estrelas, decidimos dormir.
————————————————————————————————————————————————————–

Roteiro Chapada dos Veadeiros – Dia 03

Cachoeira dos cristais e volta para Brasília. 

Acordamos querendo ir ao Vale da Lua, que estava em nosso Roteiro Chapada dos Veadeiros, mas como estávamos em época de seca, nossos amigos brasilienses nos recomendaram conhecê-lo em outra data, já que o lugar estaria muito seco e não conseguiríamos nem nos banhar. 

Decidimos então ir a Cachoeira dos Cristais que fica mais próxima de Alto Paraíso. A taxa de entrada é R$15, e no topo tem um restaurante com redes e um palco onde acontecem eventos à noite.

Para chegar à cachoeira precisamos fazer uma trilha curta porém íngreme. Onde desce na ida, e sobe na volta.

A Cachoeira também é bonita, mas foi a menos bonita de todas que vimos. Disseram que ela estava um pouco vazia por conta da seca, e que a queda d’água costumava ser mais cheia.

A piscina natural também não era muito grande, então com muita gente fica cheia.

Cachoeira dos Cristais Chapada dos Veadeiros
Cachoeira dos Cristais

Dali passamos por Alto Paraíso para almoçar, a cidade é bonitinha, mas não melhor que Vila de São Jorge.

Muitas lojas de artigos indianos, e muitos hippies na cidade também. Ficamos lá um pouco e pegamos estrada de volta para Brasília.

Dessa vez Marcelo teve de dirigir, pois Nick, que estava dirigindo, foi picado por uma muriçoca e seu pé inchou de forma que ele tinha dificuldades para se locomover, rs. Outra dica é levar repelente!

A estrada para a Chapada dos Veadeiros é linda, passa por pequenas cidades, por relevos únicos, e tem poucas curvas.

Ainda contemplamos um lindo pôr do sol, com o sol desaparecendo em uma cor vermelha que nunca havíamos visto antes. Paramos o carro até para bater palmas, rs.

Chapada dos Veadeiros
Chapada dos Veadeiros

Infelizmente estávamos de volta a Brasília para depois voltar para São Paulo. E bate aquele sentimento de tristeza por estar voltando para casa.

O QUE LEVAR

  • Repelente (um repelente potente!)
  • Lanterna
  • Capa de chuva
  • Protetor solar
  • Produtos de higiene
  • Dinheiro
  • Muita água
  • Sorine (para o nariz não sofrer com a seca)

RESUMO DOS GASTOS

HOSPEDAGEM

Camping e Bistrô Casa da Jia: R$30 por pessoa

TRANSPORTE

Avião São Paulo > Brasília: R$310 por pessoa

CUSTOS INDIVIDUAIS (2 NOITES / 3 DIAS):

Avião: R$310

Hospedagem: R$60

Comida: não registrado

Passeios: R$30

Nossa Turma 02

Gostou do nosso Roteiro Chapada dos Veadeiros? Nós achamos que 3 dias foram poucos para aproveitar esse lugar maravilhoso, e esperamos poder voltar um dia 🙂

Autor do Post
Mari Sanefuji
Joseense de 24 anos, que há 6 anos decidiu se mudar para São Paulo para trabalhar no ramo da Publicidade como Gestora de Mídias Sociais. Posso me descrever como uma mente inquieta sempre em reflexão sobre o mundo, e sobre a mim mesma.

COMENTÁRIOS

2 COMENTARIOS
  1. escrito por
    Hélio Fertonani Junior
    fev 18, 2016 Responder

    Obrigado pelas dicas valiosas! Que lugar encantador!

    • escrito por
      Mariane Sanefuji
      fev 18, 2016 Responder

      Olá Hélio,
      tudo bom?

      De nada, espero que aproveite bastante sua passagem por lá 🙂

      Abraços!

Quer deixar um comentário?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top