Garganta do Diabo – Deserto do Atacama

Quer fazer um passeio gratuito em San Pedro de Atacama, e ainda conseguir chegar de bicicleta? A Garganta do Diabo do Deserto do Atacama é um ponto turístico diferente, e cheio de aventura 😉

Como chegar na Garganta do Diabo

Faça o passeio de bicicleta

Com o tour para o Valle de La Luna marcado para as 16h, acordamos tranquilamente, levantamos e seguimos pela cidade com apenas um plano: alugar bicicletas e pedalar até a Garganta do Diabo.

O próprio hostel alugava bicicletas, mas o recepcionista nos disse que estava com dores nas costas e não teria condições de revisar as magrelas para nós.

Então nos indicou um outro lugar para alugar, o Marley Coffee. Pagamos 3.000 CLP (R$18) cada, por 6 hs de uso. E lá mesmo nos indicaram como chegar na Garganta del Diablo.

Além da Garganta del Diablo, é bem comum as pessoas irem pedalando até o Valle de La Luna. Algumas pessoas pedalam também até a Laguna Cejar, mas sabíamos que estas últimas duas seriam muito pesadas pra nós:

  • Garganta del Diablo: 16 km ida e volta;
  • Valle de La Luna: 24km ida e volta;
  • Laguna Cejar: 40km ida e volta.

Pegamos a bike e saímos da vila pela rua Tocopilla, sentido às ruínas de Pukara Quitor.

Seguimos o caminho que nos indicaram conforme estava desenhado no mapa, e chegamos a uma chancela que dava entrada a um parque.

Mas não tinham nos falado sobre esse parque, e nem sobre essa chancela, então pensamos que havíamos errado o caminho.

garganta del diablo
Garganta del Diablo

Voltamos um pouco e entramos em uma vilinha sem saída e ficamos que nem bobos olhando o mapa.

Nessa um homem que estava em uma das casas, nos viu pela janela e veio nos ajudar. Seu nome era Maurício e foi quem nos indicou que o caminho que havíamos feito anteriormente estava certo.

Seguimos o caminho até a chancela, atravessamos e continuamos a estrada até o momento em que ela se dividiria em 2. Partimos para o lado direito e chegamos!

Pedalar no deserto não foi nada fácil, estávamos na altitude e indo contra o vento. Nessa hora sentimos que a gente estava levando a vida de uma forma muito sedentária, hahaha.

Garganta del Diablo
Garganta del Diablo

Garganta del Diablo Atacama

Um labirinto com paredões de pedras

A Garganta del Diablo é muito louca! E o cansaço para chegar até lá é recompensador!

De fora a entrada para Quebrada del Diablo parece um labirinto com paredes enormes!

Ao entrar você se dá conta de que está rodeado de cânions com 15m de altura e pequenas cavernas. Não é possível chegar até lá de carro. Apenas de bicicleta ou à cavalo!

Garganta del Diablo
Entrada da Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Entrada da Garganta del Diablo

Tomamos nosso café da manhã ali no meio daquelas gigantescas pedras, e ficamos comendo nossos pães com Nescau observando a grandiosidade do lugar.

A trilha dentro da garganta é de 1km e é bem cansativa.

É bem díficil de pedalar lá dentro pois mal se tem espaço para passar entre as pedras. E em alguns pontos é tão estreita a passagem, que é necessário levantar a bicicleta no braço!

Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Garganta del Diablo

Foi durante esse trajeto que sentimos a força do deserto, cada curva era como se não saíssemos nunca do lugar pois tudo era muito parecido!

Chegou um momento em que haviam 2 saídas, seguimos por uma que deu para um mirante, tivemos que voltar.

E depois de um pouco de desespero haha, fizemos o caminho de volta para conseguirmos sair de lá.

Não sabíamos a extensão do trajeto, e muito menos quanto tempo levaríamos se tentássemos sair por outro lugar.

A volta foi bem mais fácil e bem mais agradável, o vento estava a nosso favor. Pedalar no meio do nada é mais do que emocionante!

Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Garganta del Diablo
Garganta del Diablo

Quer mais informações sobre o Deserto do Atacama? Veja nosso roteiro de 10 dias pelo deserto mais árido do mundo.

Autor do Post
Mari Sanefuji
Joseense de 24 anos, que há 6 anos decidiu se mudar para São Paulo para trabalhar no ramo da Publicidade como Gestora de Mídias Sociais. Posso me descrever como uma mente inquieta sempre em reflexão sobre o mundo, e sobre a mim mesma.

Quer deixar um comentário?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top