03 Dias no Rio de Janeiro – Dia 01 no Morro do Vidigal

Resumo do relato completo:

Dia 01: Favela do Vidigal, UPPs na Favela do Vidigal, Como Chegar, Primeiras Impressões da Favela do Vidigal, Onde se Hospedar

Dia 02: Morro Dois Irmãos, Bloco de Maracatu, Lapa (Arcos da Lapa e Escadaria Selarón) e Santa Teresa

Dia 03: Praia do Vidigal, Bloco de Carnaval, Resumo dos Gastos

————————————————————————————————————————————————————–

Dia 01

Favela do Vidigal

Estávamos saindo ansiosos de São Paulo, essa seria a nossa primeira experiência em uma favela. Vindos de famílias de classe média, onde sempre tivemos tudo o que precisávamos e estivemos sempre protegidos em nossas bolhas, nunca havíamos chegado perto de um lugar assim no Brasil.

Escolhemos a Favela do Vidigal por diversos motivos, principalmente por sua localização, segurança e popularidade, expressos pelos seguintes fatores:

  • Fica perto das praias da Zona Sul, Leblon e Ipanema;
  • Grande número de moradores da Favela do Vidigal viram artistas, cantores, dançarinos, e etc. Ela é conhecida por seu potencial artístico;
  • O número de hostels e de pessoas indo visitar o Vidigal era expressivo no momento;
  • Não haviam registros de violência policial, ou confronto de facções recentemente.

E por que a Favela do Vidigal é assim?

Morro do Vidigal
Morro do Vidigal

UPPs na Favela do Vidigal

Em 2008 foram implementadas pelo Governo do Rio de Janeiro as UPPs, ou Unidades de Polícia Pacificadora, uma ação resultante de uma estratégia tomada em conjunto pelas esferas municipal, estadual e federal do poder público.

O objetivo dessa política é combater e desarticular o crime organizado do tráfico de drogas nas comunidades e favelas, e diminuir a violência nesses locais.

Favela do Vidigal
Favela do Vidigal

A teoria das UPPs é boa e o resultado muitas vezes positivo, mas sua ação é bastante criticada devido a denúncias de abusos policiais através da tortura de civis em busca de informações, invasões ilegais e agressivas a domicílios que não possuem relação com o tráfico, cobrança de pedágios nas entradas das comunidades e desaparecimento de pessoas.

Um desses casos se tornou bastante famoso, é o caso do pedreiro Amarildo de Souza que desapareceu depois de ser levado a uma Unidade de Polícia Pacificadora.

Além disso, em algumas comunidades as UPPs ainda lutam para assumir o controle, o que resulta em uma série de confrontos entre polícia e facção, com direito a tiroteios e inocentes mortos.

No Vidigal as UPPs se instalaram somente em 2012, mas desde então a favela é considerada segura. Embora relatem enfrentar alguns problemas de autoridade, muitos moradores consideram ser uma vitória para a comunidade.

Favela do Vidigal
Quadra do Morro do Vidigal

Os resultados dessa política são mesmo bastante controversos para a comunidade. E através de conversas com locais pudemos entender os seguintes pontos positivos e negativos das UPPs na Favela do Vidigal:

Positivos:

  • Diminuição da violência
  • Maior reconhecimento dos artistas locais
  • Crescimento do setor turístico

Negativos:

Devido a especulação imobiliária por exemplo, moradores que nasceram na comunidade estão precisando se mudar por que não conseguem mais arcar com o aluguel de onde sempre moraram.

Enquanto famosos como David Beckham, constroem casas de férias por lá.

Favela do Vidigal
Favela do Vidigal

Como Chegar

Chegamos no Rio de Janeiro sexta-feira a noite pelo Aeroporto Santos Dumont, e pegamos bem na frente o ônibus 2018 da Real Auto Ônibus.

Esse ônibus custa R$13,50 por pessoa e em mais ou menos 40 minutos nos deixou na Avenida Niemeyer. A avenida que dá entrada para a Favela do Vidigal.

Entramos no ônibus e pedimos para o motorista nos avisar quando chegasse o ponto. Quando chegamos ele nos gritou e nos desejou um bom final de semana com muita simpatia, iniciamos nossa viagem com bons pressentimentos.

Morro do Vidigal 03
Morro do Vidigal

Diferente do que muitos dizem (ou do que a maioria dos paulistas dizem), que no Rio de Janeiro as pessoas são mal educadas, arrogantes, que todas querem passar a perna em você, e que o Rio seria maravilhoso se tirássemos todos os cariocas de lá…

Não passamos por nenhum momento de desconforto em relação a isso em nossa viagem para o Rio (e em minhas outras 2 viagens para lá também). Todos nos receberam muito bem.

Para falar a verdade, acho a maior balela essa rixa entre São Paulo e Rio de Janeiro. Desabafo, rs.

Favela do Vidigal
Favela do Vidigal

Primeiras Impressões da Favela do Vidigal

Descemos do ônibus e demos de cara com a comunidade dançando ao som da Acadêmicos do Vidigal.

Foi lindo ver o pessoal reunido na praça sambando com muita alegria e união.

E do lado, bem no início da subida para o morro, vimos alguns policiais com armas gigantescas nas mãos. Gelei, eu nunca tinha visto aquilo, e naquele momento fiquei com medo.

Acadêmicos do Vidigal
Acadêmicos do Vidigal

Decidimos ficar assistindo um pouco a escola de samba tocar até tomarmos coragem para subir o morro. Para subir o Morro do Vidigal você tem 4 opções:

  • A pé
  • De carro (ou táxi, mas dificilmente eles sobem com você)
  • De mototáxi
  • De van

Parece que a noite não existem muitas vans circulando por lá, então pegamos um mototáxi.

Eu que já não sou muito acostumada a andar de moto, morri de medo com a velocidade e com as curvas que estávamos fazendo. Além de ver o motorista passando por cima de calçadas, ele estava entrando em um cenário que parecia sombrio à noite.

Onde se Hospedar

Pagamos R$3 pelo mototáxi, mas alguns relatos na internet falam sobre turistas que tiveram que pagar de R$5 a R$10.

Havíamos reservado nossa hospedagem no Mirante do Arvrão, o hostel mais chique do Vidigal, sim, rs.

O valor é bem acima da média, pagamos R$210 a diária para o casal, mas a vista do lugar é sensacional. O hostel tem quartos compartilhados, mas a estrutura é muito mais para um hotel do que para um hostel.

Mirante do Arvrão
Mirante do Arvrão

A construção do lugar foi feita com materiais reciclados e por um arquiteto renomado. E na parte inferior do hotel acontecem muitas festas, que depois descobrimos não sermos o público-alvo, rs.

Chegamos com fome e pegamos alguns folhetos de restaurantes que faziam entrega. Decidimos pedir um yakisoba em um restaurante japonês, e fomos até a recepção já que no nosso quarto não tinha telefone:

– Oi, como podemos ligar para o restaurante?

– Do seu celular.

– Ah, sim, mas você pode emprestar o telefone?

Talvez seja essa a birra de alguns paulistas por alguns cariocas, mas entendemos que faz parte da cultura do lugar, rs.

Favela do Vidigal
Favela do Vidigal

Devido ao horário, depois das 23h, ficamos apenas observando o Rio de Janeiro à noite da varanda do nosso quarto e ouvindo o som eclético da balada que acontecia embaixo.

As festas no Mirante do Arvrão tocam todos os hits das rádios, e as pessoas vão muito bem arrumadas. Nada contra, mas não é o tipo de festa que a gente costuma frequentar.

Autor do Post
Mari Sanefuji
Joseense de 24 anos, que há 6 anos decidiu se mudar para São Paulo para trabalhar no ramo da Publicidade como Gestora de Mídias Sociais. Posso me descrever como uma mente inquieta sempre em reflexão sobre o mundo, e sobre a mim mesma.

Deixe uma resposta

Top