Danilover

Só o amor, seria capaz de curar minha dorDanilover

Já estávamos de partida do Pelourinho quando vimos uma cena bem inusitada, 4 pessoas andando de um lado para outro, uma delas com uma GoPro que filmava outras duas pessoas (um homem e uma mulher) e uma outra carregando um monte de coisa.

Pensamos, pensamos, observamos, e chegamos a um achismo nosso que eles poderiam estar gravando um clipe.

Saímos do Pelourinho e antes de pegar o ônibus sentido Rio Vermelho vimos que perto do ponto de ônibus tinha uma pracinha bem simples, e de onde era possível ter uma bela vista da parte de baixo da cidade (achamos mais bonita que a vista do Elevador Lacerda).

E nessa mesma pracinha estavam novamente as 4 pessoas.

Como o dia estava ensolarado e a vista era bonita, pensamos “vamos pedir para alguém tirar uma foto nossa”, e foi nessa hora que conhecemos Danilover!!

Com um grande sorriso estampado no rosto disse que seria um prazer, e foi nessa que começamos a conversar.

Salvador - Vista da pracinha
Salvador – Vista da pracinha

Danilover resolveu nossa dúvida nos confirmando que eles realmente estavam gravando um clipe, que os dois cantores eram amigos dele, e quem filmava era um produtor musical dos EUA.

Segue o resultado da filmagem abaixo:

Danilover baiano de natureza, passa a vida entre o Rio de Janeiro e Salvador, e já fez de TUDO na vida, sempre com o objetivo de ter recursos para conseguir investir na sua arte musical.

Hoje Danilover é DJ e cantor/compositor de reggae romântico.

Falou sobre a enorme dificuldade de tentar ser reconhecido como artista fora do eixo Rio – São Paulo lá em Salvador. Pois quanto mais longe do eixo mais sozinho você está.

E disse também sobre a estereotipação da música baiana, que faz com que as pessoas de fora não vejam outros tipos de música além do arrocha ou do axé.

No final da conversa nos convidou para uma festa que ele estaria discotecando, mas infelizmente não deu tempo de ir =/

Para conhecer o trampo dele:

SoundCloud: https://soundcloud.com/danilover-ssa

E com vocês, DANILOVER:

Paulistano de 26 anos, que ainda mora em São Paulo, e trabalha como Analista de Sistemas. Alguém que só percebeu o tamanho do mundo quando colocou pela primeira vez a mochila nas costas, e a partir de então passou a enxergar o mundo em uma outra perspectiva. Uma perspectiva menos “de eu” e mais “de todos”. Uma pessoa que vive em uma utopia de crer que o mundo pode ser um lugar diferente.

Deixe uma resposta

Top