Ouro Preto

Resumo do relato 

História de Ouro Preto, Ouro Preto é Patrimônio Mundial da UNESCO, O que fazer em Ouro Preto, Museu da Inconfidência, Praça de Tiradentes, Museu da Mineralogia, Casa dos Contos, Museu de Arte Sacra, Igreja de São Francisco de Assis e Quem foi Aleijadinho?

————————————————————————————————————————————————————–

Já fui para Ouro Preto muitas vezes. como gostava de estudar História na escola, sempre influenciava os meus pais na hora de escolher o destino de nossas viagens durante as férias escolares.

Adorava pegar os trechos que me surpreendiam nos livros que lia, e imaginá-los nas paisagens dessa cidade tão histórica.

Em minha última visita, fazia uma viagem de final de ano com meu pai e meu irmão.

Já havíamos passado por São João del Rei, Tiradentes e Inhotim, e agora passávamos por Ouro Preto e Mariana (que são cidades vizinhas).

Obs: Infelizmente, muitas fotos que tenho de lá foram feitas com câmeras analógicas (da época que ainda nem existiam as digitais). E outras fotografias não encontrei em meu computador (perdi, isso mesmo, perdi!).

Então a maioria das imagens foram retiradas do Google, com suas devidas fontes indicadas 🙁

Ouro Preto
Ouro Preto (Fonte: Dicas de hotéis)


História de Ouro Preto

A região de Ouro Preto antes habitada por povos indígenas, foi colonizada por exploradores europeus vindos de São Paulo.

Estes percorriam a atual região do estado de Minas Gerais em busca de ouro, pedras preciosas, e indígenas, no século XVI.

Pessoas começaram a construir capelas, casas de morada, a levantar barracas perto de terrenos auríferos, e assim se iniciou o povoamento do interior de Minas Gerais.

E Ouro Preto porque?

A cidade leva esse nome devido a uma característica do mineral encontrado na época, um ouro escurecido por uma camada de paládio, que dava uma tonalidade diferente do normal.

Ouro Preto já chegou a ser a cidade mais populosa da América Latina, contando com cerca de 80 mil pessoas em 1750. Mais que Nova York e São Paulo na época.

E oficialmente enviou a Portugal 800 toneladas de ouro no século XVII. Sem contar o que circulou de maneira ilegal, ou o que permaneceu na colônia. Como por exemplo o ouro empregado na ornamentação de igrejas.

Ouro Preto 2
Praça de Tiradentes (Fonte: CAINT UFOP)

Com o esgotamento do ouro, e com a criação de Belo Horizonte, Ouro Preto perdeu 45% de sua população, e hoje abriga aproximadamente 70.227 habitantes.


Ouro Preto é Patrimônio Mundial da UNESCO

Ouro Preto também foi o primeiro sítio brasileiro considerado Patrimônio Mundial da UNESCO, e é a cidade com maior conjunto de arquitetura barroca do Brasil.

Sendo assim conhecida como um museu a céu aberto. Resultado da preservação de suas construções e obras.

As igrejas de Ouro Preto são algumas das obras mais celebradas, são 12 no total. Sendo as principais São Francisco de Assis, Nossa Senhora do Rosário, Pilar e Carmo.

O diferencial das igrejas de Ouro Preto para as demais igrejas é que foram em sua maioria talhadas em madeira e banhadas a ouro, e possuem uma ornamentação que foge do comum.

Além disso, foram esculpidas e pintadas por mestres da arte da escultura como Aleijadinho e Ataíde, que transformaram estas em verdadeiras obras de arte.

Ouro Preto
Ouro Preto (Fonte: Férias Brasil)

Em Ouro Preto fica também o mais antigo teatro em funcionamento do Brasil, fundado em 1770, a Casa de Ópera de Vila Rica, atual Teatro Municipal de Ouro Preto.

Há também histórias de que este espaço foi o primeiro das Américas a permitir mulheres no palco, em uma época em que só homens podiam atuar.


O que fazer em Ouro Preto

Em minha última visita a Ouro Preto senti falta do deslumbramento que sentia das últimas vezes que tinha ido para lá.

Como ainda estudava história na escola (há exatamente 6 anos atrás), passeava por Ouro Preto sentindo quase a história viva!

Mas nada como um breve estudo sobre a cidade para ter esse sentimento ao andar por ela.

A cidade de Ouro Preto tem muita coisa para fazer e visitar, e tem como principais pontos turísticos:

– Museu da Inconfidência
– Igreja Nossa Senhora do Pilar
– Igreja São Francisco de Assis
– Casa dos Contos
– Praça Tiradentes
– Museu da Mineralogia ou Museu da Ciência e Técnica
– Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos
– Igreja Nossa Senhora do Carmo
– Igreja Santa Efigênia dos Pretos
– Igreja Nossa Senhora do Rosário
– Museu do Aleijadinho
– Igreja São Francisco de Paula
– Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição
– Museu de Arte Sacra

É igreja demais, né? rs.

Eu não sou religiosa, mas mesmo assim me encanto com as histórias que acompanham cada uma das igrejas de Ouro Preto. E com as características únicas que cada uma tem.

Acho que vale a pena ler um pouco sobre elas antes de visitá-las, ou, contratar um guia para acompanhar as visitas.

Ouro Preto 4
Ouro Preto ( Fonte: Melhor Temporada)


Museu da Inconfidência

Em 1789, mesmo ano da Revolução Francesa, ocorreu o maior movimento pela libertação do domínio português no Brasil, a Inconfidência Mineira.

Descontentes com a cobrança de impostos altíssima na época, um grupo de representantes das classes abastadas da região, começou a conspirar contra a Coroa portuguesa, que na época controlava o Brasil.

Mas com a constante perseguição da coroa, Joaquim Silvério dos Reis, um dos inconfidentes mineiros, traiu o movimento denunciando todos os integrantes em troca do perdão de suas dívidas.

Museu da Inconfidência
Museu da Inconfidência (Fonte: Trilhas e Aventuras)


Nessa, Joaquim José da Silva Xavier, mais conhecido como Tiradentes, foi condenado à morte, sendo esquartejado e tendo sua cabeça exposta na atual Praça Tiradentes em Ouro Preto para servir de exemplo a quem ousasse questionar o sistema.

O mais triste dessa história toda, é que Tiradentes, o único a ter recebido pena de morte, não sofreu tal retaliação por ter sido líder do movimento, como muitos dizem.

Mas então porque?

Por que Tiradentes era o integrante mais pobre do movimento, e assim, o único que não teria condições de pagar por sua defesa. Dessa forma foi jogado como pedaço de carne por seus colegas para a Coroa portuguesa.

É, dinheiro vale muito mais que vidas…

E hoje, temos aí 21 de Abril para celebrar a morte desse grande cara.

E o Museu da Inconfidência, um museu completamente voltado para documentar o que aconteceu nesse movimento de Ouro Preto, um museu bonito e bem montado, e com muita informação interessante.

O Museu da Inconfidência fica bem em frente à praça principal de Ouro Preto, a Praça Tiradentes. E também ao Museu da Mineralogia.

Passamos a virada de Ano Novo em frente ao Museu da Inconfidência esperando os fogos de artifício da cidade (que no final foram no máximo uns 3, haha).

Mas pelo menos passamos contemplando toda a principal arquitetura de Ouro Preto que à noite fica linda!

Museu da Inconfidência Mineira
Museu da Inconfidência Mineira

O Museu da Inconfidência funciona de terça à domingo das 10h às 18h, e vende ingressos até às 17h20.

Os valores dos ingressos são R$10 a inteira, e R$5 a meia entrada.


Praça Tiradentes

Fica entre o Museu da Inconfidência e o Museu da Mineralogia, e foi onde a cabeça de Tiradentes foi exposta no final da Inconfidência Mineira.

Atualmente expõem um monumento para Tiradentes.

Praça Tiradentes
Praça Tiradentes (Fonte: Compartilhe Viagens)


Museu da Mineralogia
ou Museu da Ciência e Técnica

Funciona no antigo Palácio dos Governadores, erguido entre 1741 e 1748, onde residiram governadores e presidentes até 1897.

A partir deste período, foi ocupado pela Escola de Minas e hoje sedia vários museus da Universidade Federal de Ouro Preto: Mineralogia, Metalurgia, História Natural e Astronômico, com acervos de zoologia, paleontologia, destaque para observatórios, minerais, e etc.

Visitei o Museu da Mineralogia quando era mais nova, lembro de ter vistos muitas pedras, mas do restante não me lembro mais.

Para quem curte o assunto, pode ser uma boa visita.

Os setores de Mineralogia, História Natural, Mineração, Metalurgia, Física/Ciência Interativa e Química, funciona de terça a domingo das 12h às 17h, e o Observatório Astronômico aos sábados das 20h às 22hs.

A entrada custa R$10 inteira, e R$5 a meia.

 

Casa dos Contos

Casa dos Contos é um dos mais prestigiados monumentos do barroco mineiro atualmente.

Sua casa foi construída entre 1782 e 1784, e serviu inicialmente como residência, assim como também, esconderijo para os membros da Inconfidência Mineira.

Porém, durante a repressão à Inconfidência Mineira, a casa serviu para acomodar as tropas do vice-rei, e de prisão para os inconfidentes com elevados títulos sociais.

Casa dos Contos
Casa dos Contos (Fonte: Cazadores de Bibliotecas)

Em 1792, a casa virou sede da administração e contabilidade pública da Capitania de Minas Gerais, e assim recebeu o seu atual nome, Casa dos Contos.

Entre 1820 e 1844, a casa foi ampliada para receber a Casa de Fundição do Ouro e a Casa da Moeda.

Em 1973, o Ministério da Fazenda assumiu o imóvel e o transformou em um Centro de Estudos do Ciclo do Ouro.

Que posteriormente se transformou em um museu com diversos acervos históricos filmados, fotografados e escritos, com o objetivo de disponibiliza-los para pesquisas e elaborações de trabalhos sobre o Ciclo do Ouro, a história de Minas Gerais e do Brasil.

Na Casa dos Contos temos acesso a um museu alusivo à Casa da Moeda, e no subsolo a réplica de uma senzala, além de muitos objetos específicos da época.

A entrada é gratuita, e o museu funciona de terça a sábado das 10h às 17h, e domingos e feriados das 10h às 15h.

 

Museu de Arte Sacra

O Museu de Arte Sacra de Ouro Preto, foi inaugurado em 2000 e localiza-se na cripta da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar.

Um espaço sob a sacristia encontrado durante a última reforma do monumento, e onde acredita-se, funcionava uma mina de ouro.

O acervo do Museu de Arte Sacra de Ouro Preto conta com 400 peças religiosas dos períodos Maneirista, Barroco, Rococó e Neoclássico, produzidas entre os séculos XVII e XIX, e abrangem a história de Ouro Preto durante o período áureo da mineração do ouro.

O museu funciona de terça a domingo das 9h às 10h45, e 12h às 16h45, e a entrada custa R$7 inteira, e R$4,50 a meia.

 

Igreja de São Francisco de Assis

A Igreja de São Francisco de Assis de Ouro Preto é uma igreja católica construída em estilo Barroco com elementos decorativos do Rococó, e é um dos monumentos mais significativos da arte colonial.

Uma das criações do escultor Aleijadinho, que elaborou o projeto básico da fachada e da decoração em relevos.

Ali também se encontram trabalhos de Ataíde, o maior nome da pintura colonial brasileira, que decorou o teto da igreja.

Igreja de São Francisco de Assis
Igreja de São Francisco de Assis

Hoje, a Igreja de São Francisco de Assis de Ouro Preto é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), e foi classificada em 2009 como uma das Sete Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo.

Do lado da igreja, podemos passear por uma feirinha de artesanatos que tem como principal característica a venda de produtos em pedra sabão.

Além da Igreja de São Francisco de Assis, Ouro Preto tem muitas outras igrejas lindas e irreverentes. Caracterizadas pela quantidade de ouro em suas esculturas, e pelas esculturas e pinturas super detalhistas, características dos estilos Barroco e Rococó, estilos artísticos da época.

Igreja de São Francisco de Assis 02
Igreja de São Francisco de Assis por dentro (Fonte: website do IPHAN)

Mas mais interessante do que ficar te explicando igreja por igreja aqui, talvez seja entender quem foi Aleijadinho. 

Esse cara de que tanto falamos até então.

E sobre as igrejas, recomendo contratar um guia que te leve a cada uma delas, e explique toda a sua história e processo de construção.

 

Quem foi Aleijadinho?

Aleijadinho se chamava Antônio Francisco Lisboa, e nasceu em Vila Rica (antiga Ouro Preto) em 1730 (não há registros oficiais sobre a data).

Era filho de uma escrava com um mestre-de-obras português, e iniciou sua vida de escultor observando seu pai que também era escultor.

Aleijadinho
Aleijadinho (Fonte: Overmundo)

Por volta de seus 40 anos de idade, Aleijadinho desenvolveu uma doença degenerativa nas articulações, como hanseníase ou doença reumática (não se sabe ao certo qual foi). Que o fez perder os movimentos dos pés e das mãos.

Mas mesmo assim não deixou sua profissão de lado, e amarrava seus instrumentos aos pulsos ou as pernas para continuar suas esculturas.

Posteriormente, Aleijadinho morreu pobre, doente e abandonado na cidade de Ouro Preto no ano de 1814 (sem registros oficiais, também).

Aleijadinho foi um importante escultor, entalhador e arquiteto do Brasil colonial, e promove até hoje um árduo trabalho de pesquisa sobre sua história.

Uma história ainda hoje envolta de lendas e controvérsias que partiram de uma nota biográfica escrita cerca de 40 anos depois de sua morte.

Suas obras não tiveram atribuição de autoria documentadas, foram atribuídas a Aleijadinho baseando-se em critérios de semelhança estilística com peças documentadas, e vão além de obras encontradas em Ouro Preto, mas também em Sabará, São João del Rei e Congonhas.

Ouro Preto é uma cidade linda, um museu à céu aberto por ruas de pedra íngremes e sinuosas, que você precisa conhecer para entender um pouquinho a história do país, o Brasil.

Autor do Post
Mari Sanefuji
Joseense de 24 anos, que há 6 anos decidiu se mudar para São Paulo para trabalhar no ramo da Publicidade como Gestora de Mídias Sociais. Posso me descrever como uma mente inquieta sempre em reflexão sobre o mundo, e sobre a mim mesma.

Deixe uma resposta

Top