Inhotim

Resumo do relato

O que é Inhotim?, Onde fica o Inhotim?, Como chegar no Inhotim, Informações sobre Inhotim e Inhotim – A maior galeria de arte à céu aberto da América Latina.

————————————————————————————————————————————————————–

Fui para o Inhotim em uma viagem de final de ano por Minas Gerais com o meu pai e com meu irmão.

Essa viagem foi realizada em Dezembro de 2014, mas as informações estão todas atualizadas.

Antes de Inhotim havíamos passado por São João del Rei e Tiradentes, e posteriormente passaríamos por Ouro Preto e Mariana.

Inhotim
Inhotim

O que é Inhotim?

Inhotim é uma instituição privada que começou a ser idealizada na década de 80, e hoje conta com um dos mais relevantes acervos de arte contemporânea do mundo.

Além de ter uma coleção botânica que reúne espécies raras e de todos os continentes do mundo.

O Inhotim é considerado também o maior centro de arte ao ar livre da América Latina.

Em 2004 Inhotim surgiu para abrigar a coleção de Bernardo Paz, empresário da área de mineração e siderurgia. Que há 20 anos começou a se desfazer de sua valiosa coleção de arte modernista.

Incluindo trabalhos de Portinari, Guignard e Di Cavalcanti (obras que ainda hoje se encontram em Inhotim).

Em 2006 o local foi aberto ao público, abrigando obras da década de 1970 até a atualidade em dezoito galerias.

Incluindo trabalhos de Cildo Meireles, Tunga, Vik Muniz, Hélio Oiticica, Ernesto Neto, Matthew Barney, Doug Aitken, Chris Burden, Yayoi Kusama, Paul McCarthy, Zhang Huan, Valeska Soares, Marcellvs e Rivane Neuenschwander.

As obras existentes no acervo do Inhotim são destinadas à todas as faixas etárias e para todo tipo de público, sendo assim um lugar bastante democrático.

Onde fica o Inhotim?

Inhotim fica na cidade de Brumadinho, em Minas Gerais, com população de 35 mil habitantes.

A cidade começou a ser colonizada quando os “insubmissos” da Guerra dos Emboabas (confronto travado entre 1707 a 1709 pelo direito de exploração das recém-descobertas jazidas de ouro em Minas Gerais), se dirigiram para lá fugindo da repressão.

Brumadinho é uma cidade bem pequena, e com pouca coisa. Alguns comércios e bons restaurantes, mas não tem nada demais além do Inhotim.

Gato em Brumadinho
Gatinho da pousada de Brumadinho

Passamos uma noite lá para no dia seguinte visitar Inhotim de manhã. E devido a natureza que ainda existe no lugar, é possível ficar em hotéis/pousada fazenda, sem gastar muito.

Como chegar no Inhotim?

O endereço do Inhotim é: Rua B, 20, Inhotim – Brumandinho, MG – Brasil. CEP: 35460-000, um pouco longinho do centro de Brumadinho.

Caso você esteja em Belo Horizonte, você pode pegar vans que saem aos sábados, domingos e feriados às 8h15 e retornam às 17h30, pagando R$60 ida e volta.

A saída se dá na Loja Inhotim Savassi, na R. Antônio de Albuquerque, 909 – Funcionários, BH. E é necessário reservar o serviço antecipadamente pelo telefone (31) 3571-9795 ou e-mail reservas@oturi.com.br.

Ou também, pode pegar ônibus na rodoviária de Belo Horizonte na plataforma F2 com a companhia Saritur, de terça à sexta-feira, saída às 8h15 e retorno 16h30, e aos sábados, domingos, e feriados, retorno às 17h30. Paga-se R$23,90 ida e R$23,45 volta.

Inhotim 02
Inhotim

Informações sobre Inhotim

O Inhotim funciona de terça à sexta-feira das 9h30 às 16h30, e aos sábados, domingos e feriados das 9h30 às 17h30.

Seus restaurantes funcionam de terça a sexta das 12h às 16h, e sábado, domingos e feriados das 12h às 17h. E suas lanchonetes, de terça a sexta das 9h30 às 16h, e sábado, domingos e feriados das 9h30 às 17h.

Para entrar, é necessário pagar R$25 entre terça e quinta-feira, e às sextas, sábados, domingos e feriados R$40.

Às quartas-feiras, a entrada é gratuita.

Crianças de até 5 anos não pagam, e crianças de 6 a 12 anos, idosos acima de 60 anos, estudantes identificados, professores das redes formais pública e privada de ensino identificados, e outros profissionais (ver no site) pagam meia-entrada.

Aceita-se dinheiro, American Express, Elo, Mastercard, Visa e Vale Cultura das bandeiras ALELO e Sodexo.

E para percorrer os 140 hectares de área de visitação (MUITO dificilmente você vai conseguir ver tudo em um dia), o parque possui um serviço de transporte interno com carrinhos elétricos que te levam de um ponto à outro, agilizando o seu passeio por lá.

De terça a domingo custa R$25 por pessoa, e crianças de até 5 anos, não pagam.

Mapa Inhotim
Mapa Inhotim

Inhotim – A maior galeria de arte a céu aberto da América Latina

Inhotim é o melhor local de arte que eu já fui em toda a minha vida. Nenhum museu de arte contemporânea de Londres que eu visitei, pôde chegar perto de Inhotim.

O Inhotim nada mais é do que uma galeria de arte a céu aberto enorme e em meio à natureza!

E eu que gosto bastante de arte, principalmente de arte contemporânea, e de natureza, não tinha como não me apaixonar por lá.

Você se sente em uma espécie de parque com várias galerias (com arquiteturas incríveis) com obras de arte completamente diferentes umas das outras, e com coisas que você nunca viu na vida.

Você pode até questionar se uma ou outra é mesmo arte, mas essa discussão não cabe a nós nesse momento, rs.

Não tenho como contar sobre todas as galerias e obras que vi no Inhotim, e aliás, o fiz em um dia e não consegui ver tudo!

E olha que ainda paguei pelo carrinho elétrico.

O parque é gigantesco, e para ver tudo e com calma, você precisará de no mínimo 2 dias.

No entanto, colocarei minhas percepções abaixo sobre algumas das obras que mais me marcaram:

  • Invenção da cor, Penetrável Magic Square – Hélio Oiticica

Sabe aquela foto no fundo amarelo que todo mundo tira quando vai pro Inhotim?

Então, ela é tirada nessa obra.

Magic Square faz parte de um grupo de seis trabalhos de Hélio Oiticica, que se articulam em torno da praça e do quadrado (já que em inglês a palavra “square” tem os dois significados). Criando espaços para o espectador se colocar em contato vivencial com a forma, a cor, e os materiais.

A obra foi projetada tendo seus detalhes minuciosamente anotados por textos, plantas, desenhos técnicos, diagramas, maquetes e amostras por Oiticica, mas só foi colocada em produção após sua morte.

Penetrável Magic Square
Penetrável Magic Square
  • Sonic Pavilion – Doug Aitken

Sonic Pavilion (Pavilhão sônico) é uma construção de vidro muito bonita, e com um conceito muito mais legal.

Com um furo de 200 metros de profundidade na terra, onde estão instalados uma série de microfones, a obra consegue captar o som da Terra.

Este som é transmitido em tempo real, por meio de um sofisticado sistema de equalização e amplificação.

Sonic Pavilion
Sonic Pavilion
  • De Lama Lâmina – Matthew Barney

Uma construção um pouco dentro da mata, parecendo uma estufa na estrutura de duas bolhas gigantes, e que dentro tem um trator todo sujo de terra segurando o pedaço de uma árvore pintada de branco.

Essa foi a minha percepção, haha. Agora o que ela significa:

Matthew Barney usou o candomblé baiano como fonte de referência para tecer uma complexa narrativa sobre o conflito entre Ogum, orixá do ferro, da guerra e da tecnologia, e Ossanha, orixá das florestas, das plantas e das forças da natureza.

De Lama Lamina
De Lama Lâmina
  • Elevazione – Giuseppe Penone

Modelagem e fundição em bronze de uma castanheira centenária, presa no chão por pés de aço.

Ao redor dela estão outras cinco árvores que, ao longo dos anos irão crescer e se aproximar da escultura.

Elevazione
Elevazione
  • Vegetation Room Inhotim – Cristina Iglesias

Vegatation Room Inhotim (Quarto de Vegetação Inhotim) cria um labirinto dentro da mata a partir de uma estrutura espelhada, imersa na natureza.

Vegetation Room Inhotim
Vegetation Room Inhotim
Vegetation Room Inhotim 02
Vegetation Room Inhotim
  • Galeria Miguel Rio Branco

Uma galeria construída especificamente para abrigar obras produzidas por Miguel Rio Branco.

Por fora parece uma espaço-nave em bronze, na entrada um aviso de conteúdo impróprio para menores de idade, e lá dentro diversas obras. As que mais me marcaram foram:

Galeria Miguel Rio Branco
Galeria Miguel Rio Branco

Maciel: um filme com sequências de filmagens e fotos realizadas em locais muito pobres de Salvador, incluindo o Pelourinho.

O vídeo focava em cenas eróticas e manifestações sexuais de homens e mulheres, de doenças, focando nos vermes visíveis na pele dos moradores do local, e em cachorros com sarna, dando peso a pobreza que circunda o lugar.

Tubarões de seda: vários pedaços de pano dispostos em um lugar bastante escuro com fotos de tubarões. A impressão que dá é que você está nadando sob eles.

Entre os olhos e o deserto: uma sequência de fotos que aparecem divididas em 3 cenas transmitidas em 3 painéis.

Nas telas das pontas aparecem retratos de pessoas, principalmente seus olhos, e no meio aparecem principalmente paisagens. As imagens eram acompanhadas de sons e objetos dispostos embaixo das telas.

  • Galeria Cosmococa

Essa eu não gostei, mas acho interessante compartilhar a experiência, haha.

À começar que temos que entrar descalços no prédio que tem 3 salas, uma com uma piscina, outra com colchonetes e uma projeção, e outra com uma lona azul e projeção.

Lá dentro era úmido, e um pouco frio, e fedia chulé! Terrível, rs.

Inhotim é incrivelmente gigante, e além de todas as galerias, lagos, lanchonetes, restaurantes, ainda tem uma piscina para nadar.

O lugar é incrível, e vale muito, muito a pena visitar. Ainda voltarei outras vezes 😉

Autor do Post
Mari Sanefuji
Joseense de 24 anos, que há 6 anos decidiu se mudar para São Paulo para trabalhar no ramo da Publicidade como Gestora de Mídias Sociais. Posso me descrever como uma mente inquieta sempre em reflexão sobre o mundo, e sobre a mim mesma.

Deixe uma resposta

Top