Ibitipoca / MG em 04 dias – Dia 02

Resumo do relato completo:

Dia 01: Como chegar em Ibitipoca, História de Lima Duarte, Como pegar carona para Ibitipoca, Onde se hospedar em Ibitipoca, História de Ibitipoca, Curiosidades de Ibitipoca e Onde comer em Ibitipoca.

Dia 02: Como chegar ao Parque Estadual do Ibitipoca, O que fazer no Parque Estadual do Ibitipoca, Como fazer o Roteiro das Águas no Parque Estadual do Ibitipoca e Por que a cor da água de Ibitipoca é diferente?

Dias 03 e 04: Arraial de Ibitipoca, Onde comer em Ibitipoca, Pão de canela, Onde comer em Ibitipoca e Resumo dos Gastos.

————————————————————————————————————————————————————–

Era dia de conhecer o Parque Estadual do Ibitipoca, então eu e Doug acordamos umas 7h30 correndo para arrumar nossas coisas e pegar uma carona com nosso amigo, que nos deixaria na porta do parque.

Infelizmente um policial que estava um pouco antes da entrada não nos deixou subir com a gente até a porta do Parque Estadual do Ibitipoca.

Tivemos que enfrentar uma subidinha até encontrar a fila para a entrada do parque.

Uma subida de 2km para já aquecer as pernas para trilha
Uma subida para já aquecer as pernas para trilha

Em dias úteis o Parque Estadual do Ibitipoca só permite a entrada de 300 pessoas, e aos finais de semana e feriados 800 pessoas.

O parque abria às 7h, chegamos às 8h da manhã com uma fila gigantesca, e entramos apenas às 9h. Neste dia o pessoal do parque permitiu que entrasse um número maior de pessoas.

Entrada para o Parque Estadual de Ibitipoca
Entrada para o Parque Estadual de Ibitipoca

Para entrar é necessário pagar uma taxa de R$20, ou R$10 estudante em finais de semana e feriados. E R$10 em dias úteis.

Outros preços, como de estacionamento, você pode ver aqui.

Como chegar ao Parque Estadual do Ibitipoca

Se você estiver hospedado no arraial de Ibitipoca, você pode pegar transfers que são espécies de kombis que sobem as pessoas até a porta do Parque Estadual do Ibitipoca (eles podem subir até a porta do parque).

Se preferir ir de carro, percorrerá mais ou menos uns 4km até lá. A estrada é única, basta perguntar para alguém por lá.

Um dos problemas de ir de carro é que dentro do estacionamento do parque há um limite muito pequeno de carros para estacionar.

Se você não chegar cedo, provavelmente terá que estacionar o carro do lado de fora. E aí terá que dar uma caminhadinha até a porta do parque.

 O que fazer no Parque Estadual do Ibitipoca

O Parque Estadual do Ibitipoca é lindo, possui praias, piscinas naturais, picos, cachoeiras e cavernas de quartzito.

O clima é tropical de altitude, variando entre 15ºC e 18ºC, e a serra fica à uma elevação com altitudes entre 1.200 e 1.784 m.

Entre os animais encontrados no parque, se destacam o gavião-pega-macaco e o lobo-guará.

Ibitipoca - Mirante Lago das Miragens 06
Mirante do Lago das Miragens

Dentro do Parque Estadual do Ibitipoca você pode fazer 3 trilhas diferentes:

  1. Roteiro das Águas: são 5km de ida e volta de caminhada para passar pelos seguintes pontos: Gruta dos Coelhos, Lago dos Espelhos, Ducha, Lago Negro, Prainha das Elfas, Prainha, Gruta dos Gnomos, Lago das Miragens, Ponte de Pedra, Cachoeira dos Macacos e Rio do Salto.

  2. Roteiro Pico do Pião: são 11km de ida e volta de caminhada para passar pelos seguintes pontos: Gruta do Monjolinho, Gruta do Pião, Gruta dos Viajantes, Pico do Pião e Ruínas da Capela.

  3. Roteiro da Janela do Céu: são 16km de ida e volta de caminhada para passar pelo Cruzeiro, Gruta da Cruz, Pico da Lombada, Gruta dos Três Arcos, Gruta dos Fugitivos, Gruta dos Moreiras, Cachoeirinha, Mirante, Janela do Céu e Rio Vermelho.

Devido à nossa condição física, e pela atratividade que o Roteiro das Águas oferecia por conta da quantidade de cachoeiras que encontraríamos no caminho. Decidimos fazer o Roteiro das Águas.

A água de Ibitipoca parece uma miragem
A água de Ibitipoca parece uma miragem

Como fazer o Roteiro das Águas no Parque Estadual do Ibitipoca

Passando da portaria do parque você ainda tem que encarar uns 2km de caminhada para chegar ao restaurante.

De onde começam as trilhas do Roteiro das Águas e do Roteiro do Pico do Pião.

A trilha do Roteiro da Janela do Céu começa antes.

Mais 2km de caminha até o início da trilha
Mais 2km de caminha até o início da trilha

No caminho você encontra a Gruta dos Coelhos, uma gruta bem legal que até dá para você entrar.

Mas estávamos sem lanterna e não arriscamos conhecê-la por dentro. Além disso, não sabemos bem ao certo até onde ela vai.

A escuridão da Gruta dos Coelhos
A escuridão da Gruta dos Coelhos
Ibitipoca - Gruta dos Coelhos 04
Pousando pra foto na Gruta dos Coelhos

À partir do restaurante seguimos pela Prainha das Elfas, uma cachoeira que abria uma pequena piscina natural com areia.

Muito parecida com uma praia, mas com uma característica muito marcante de Ibitipoca. A cor vermelha da água!

Vista do começo da trilha circuito das águas
Vista do começo da trilha circuito das águas
Praia das Elfas
Praia das Elfas

Por que a cor da água de Ibitipoca é diferente?

E por que a cor da água de Ibitipoca é assim?

Parece meio vermelha, marrom escuro, e em alguns lugares ela fica preta!

A cor da água de Ibitipoca é assim devido a decomposição de matéria orgânica vegetal, mas a água é limpíssima! Só não é indicada para ingestão.

Priaia das Elfas - Cores surreais no Parque Estadual de Ibitipoca
Priaia das Elfas – Cores surreais no Parque Estadual de Ibitipoca
Vista de cima do Lago das Miragens
Vista de cima do Lago das Miragens

A Prainha das Elfas era uma graça, mas é pequenininha, e por ser o primeiro ponto do parque estava um pouco cheia.

Então decidimos seguir a trilha. Àquela altura poderíamos seguir para 2 lados:

  1. Lago dos Espelhos, Ducha, Lago Negro.
  2. Prainha, Lago das Miragens, Ponte de Pedra e Cachoeira dos Macacos.

Seguimos então pela opção 2, subimos a Ponte de Pedra de onde conseguimos ver a Prainha e o parque de cima através de mirantes muito lindos.

A cor da água ficava sensacional misturada às pedras e ao verde da flora.

Vista do Mirante do Paredão
Vista do Mirante do Paredão
Ibitipoca - Mirante das Pedras 02
Mirante da Ponte de Pedra

Fomos até o final da Ponte de Pedra por onde encontramos uma trilha que descia para debaixo da Ponte de Pedra. Uma caverna aberta dos dois lados, muito linda.

A trilha do circuito das águas é bem tranquila
A trilha do circuito das águas é bem tranquila
Ponte de Pedra
Ponte de Pedra
Ponte das Pedras
Ponte de Pedra

Debaixo da Ponte de Pedra você consegue atravessá-la andando pelas pedras na água e até passar por um pedrão onde você pode andar.

Do outro lado da ponte, você vê a água correndo, acredito que ali tenha uma queda d’água.

Ponte de Pedra
Ponte de Pedra

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=2go6lQ8KOAw&w=560&h=315]

Dali, seguindo a trilha você conseguirá curtir o Lago das Miragens, que é um lago não muito grande mas muito gostoso, com uma água fria de arrepiar e com uma coloração de surpreender.

Nadamos um pouco por ali, e ficamos curtindo um pouco a água da qual ainda não havíamos nos banhado. Delícia!!!

Uma refrescada no lago das miragens
Uma refrescada no lago das miragens

Continuando a trilha, chega-se à Prainha que também é uma delícia para se banhar!

Mas decidimos não passar por ali, pois faríamos a trilha de volta de cima da Ponte de Pedra para ir para a Cachoeira dos Macacos.

A mesma trilha que fizemos para chegar à parte debaixo da Ponte de Pedra, nós fizemos voltando para subi-la e pegar a trilha para a Cachoeira dos Macacos, onde você chega depois de uns 15 minutinhos de caminhada.

Ibitipoca - Mirante da Cachoeira dos Macacos 01
Mirante Cachoeira dos Macacos
 Mirante da Cachoeira dos Macacos
Mirante da Cachoeira dos Macacos

Na entrada da cachoeira chegamos à algumas pedras que dão uma vista linda para o parque. E se você olhar para baixo verá outra cachoeira com outras prainhas (olhe com cuidado, é bastante perigoso, rs).

Continuando a trilha, chega-se a Cachoeira dos Macacos.

Entrada da Cachoeira dos Macacos
Entrada da Cachoeira dos Macacos
Ibitipoca - Mirante da Cachoeira dos Macacos 02
Uma vista de tirar o fôlego
Parque Estadual de Ibitipoca
Parque Estadual de Ibitipoca

A Cachoeira dos Macacos tem uma piscina maior, e uma queda muito bonita, mas por conta do gelo da água, poucas pessoas estavam se banhando nela, rs.

Mas agora me arrependo um pouco de não ter entrado nela, haha.

Cachoeira dos Macacos
Cachoeira dos Macacos
Cachoeira dos Macacos
Cachoeira dos Macacos

Passado um tempo fizemos a trilha de volta para a parte superior da Ponte de Pedra, e voltamos para a Prainha das Elfas, pois de lá conseguiríamos ir para o Lago dos Espelhos.

De lá, mais uns 15 minutos andando, chegamos ao Lago dos Espelhos. Nesse exato momento começou a cair uns pingos de chuva!

Vista do Mirante do Gavião
Vista do Mirante do Gavião
Fazendo a trilha sentido ao Lago das Miragens
Fazendo a trilha sentido ao Lago das Miragens

Com medo da chuva que poderíamos enfrentar, passamos rapidinho pelo Lago dos Espelhos, e voltamos.

Entre a Prainha das Elfas e o Lago dos Espelhos ainda tem uma trilha para a Ducha e para o Lago Negro. 

Passamos por eles rapidinho para ver como era, e tirarmos algumas fotos. Dali, voltamos para o restaurante.

Ducha
Se desse pra tomar uma Ducha dessas todos os dias …
Lago dos Espelhos
Lago dos Espelhos
Lago Negro
Lago Negro

Já eram quase 16h e estávamos com muita fome, pois só havíamos comido pão de forma com queijo e salgadinho durante o dia inteiro.

Paramos no restaurante para comer uns salgados e pagamos R$5,50 o bolinho de mandioca com queijo e R$4,50 o refrigerante lata.

Lago das Miragens
Mirante do Lago das Miragens

Saímos comendo nosso salgado pois havíamos marcado com nosso amigo de nos pegar na portaria do parque às 16h, e quando chegamos lá, lá estava ele! Pontualmente.

De volta para nosso sítio, ficamos à curtir a noite com a galera de Juiz de Fora, novamente.

Ibitipoca - Nois.JPG

Dia Anterior | Próximo Dia

Autor do Post
Mari Sanefuji
Joseense de 24 anos, que há 6 anos decidiu se mudar para São Paulo para trabalhar no ramo da Publicidade como Gestora de Mídias Sociais. Posso me descrever como uma mente inquieta sempre em reflexão sobre o mundo, e sobre a mim mesma.

Deixe uma resposta

Top