Chile em 10 dias- Dias 07 e 08 em Iquique

Resumo do relato completo:

Dias 01 e 02: Como chegar em Santiago, Como sair do aeroporto de Santiago, O que fazer em Santiago, Fazendo mercado em Santiago

Dia 03: Como chegar em Valparaíso, Informações de Valparaíso, Como chegar ao Cerro Concepción, Como chegar em Viña del Mar, História de Viña del Mar, O que fazer em Viña del Mar, Como chegar em Santiago

Dia 04: Como chegar em San Pedro de Atacama, Onde se hospedar em San Pedro de Atacama, História de San Pedro de Atacama,  O que fazer no Deserto de Atacama, Informações de San Pedro de Atacama, Escolhendo as agências de viagem em San Pedro de Atacama, Onde comer em San Pedro de Atacama, Tour Space Obs no Deserto de Atacama

Dia 05: Como chegar a Garganta del Diablo em San Pedro de Atacama, Garganta del Diablo, Como chegar ao Valle De la Luna e a Pedra do Coyote, Valle de La Luna, Pedra do Coyote

Dia 06: Como chegar ao Salar de Tara, Tour para o Salar de Tara, Catedrais de Tara, O que é o Salar de Tara, Salar de Tara, De volta à San Pedro de Atacama e contornando problemas inesperados, Roteiro pelo norte do Chile

Dias 07 e 08: História de Iquique, Onde se hospedar em Iquique, O que fazer em Iquique, Como chegar ao Cerro Dragón, História de Alto Hospício, Mercado das Pulgas em Alto Hospício, Mall ZOFRI e Playa Cavancha

Dia 09: Como chegar em Arica, Onde se hospedar em Arica, História de Arica, O que fazer em Arica e Onde ver leões marinhos em Arica

Dia 10Como chegar em La Paz, Atravessando a fronteira do Chile para Bolívia, Resumo dos Gastos

————————————————————————————————————————————————————–

Dia 07

História de Iquique

Iquique é uma comuna que faz parte da Província de Iquique pertencente a Região de Tarapacá, e é formada pelas comunas de Iquique e Alto Hospício.

Possui uma área de 2.262km² e uma população de 166.204 pessoas. Pertenceu ao Peru até 1883, porém foi cedida ao Chile após a Guerra do Pacífico pelo Tratado de Ancón =/

Um dos fatos mais marcantes da história de Iquique se deu no dia 12 de julho de 1835, dia em que Charles Darwin (SIM, VOCÊ LEU CERTO) desembarcou no porto de Iquique, com o objetivo de explorar a costa do Chile e do Peru.

Fato escrito na segunda edição de A Origem das Espécies, publicado em 1860 :

“…a) completar o estudo das costas da Patagônia e da Terra de Fogo; b) mapear as costas de Chile, Peru e de algumas ilhas do Pacífico, c) fazer uma série de observações cronométricas ao redor do mundo …. “.

Durante o trajeto de Calama até Iquique, reparamos em uma quantidade enorme de tratores nas estradas.

Pesquisando um pouco aprendemos que os tratores trabalhavam na extração de Nitrato (em espanhol Salitrero), principal mineral da região e que historicamente sustentou a Região de Tarapacá.

E não tem como falar da história de Iquique, sem falar em sua riqueza de Nitrato (ou Salitre).

Para se ter uma ideia, entre o final do século 19 e começo do século 20 praticamente TODO o salitre do mundo era proveniente do Deserto do Atacama.

A Europa tinha uma grande demanda pelo salitre, pois estava passando por uma fase de industrialização. E usava o salitre como fertilizante de alimentos para economizar na alimentação de sua população.

Em 1872, o Chile com investimento britânico fundou a cidade de Humberstone Saltpeter.

Localizada a 18km da cidade de Iquique foi uma das muitas cidades construídas na época pelo Chile com investimento britânico, para a exploração do Salitre.

Porém, a maioria destas cidades ocupavam território boliviano e peruano, e os mesmos cobravam pesadas taxas de impostos sobre a extração do Salitre na região.

Vários desentendimentos passaram a acontecer entre os 3 países, que no final das contas desencadeou a Guerra do Pacífico em 1879.

Uma guerra que durou 4 anos, e no final foi vencida pelo Chile (um dos motivos foi por ter recebido bastante investimento britânico). Que se tornou “dono” do Deserto do Atacama, tirando da Bolívia qualquer saída possível ao mar.

Hoje em dia a cidade de Humberstone Saltpeter é literalmente uma cidade fantasma. Possui casas, teatros, mercados, “tudo que uma cidade precisa”, e tudo isso abandonado. Por ficar perto de Iquique vale a pena o passeio pra lá.

Saindo do Atacama nos deparamos com esses tratores no meio do deserto.
Saindo do Atacama nos deparamos com esses tratores no meio do deserto

Valeu muito a pena fazer o trajeto durante o dia pois a estrada é bem costeira ao oceano pacífico o que torna a vista incrível.

Vista do ocano pacífico na estrada para Iquique
Vista do oceano pacífico na estrada para Iquique
Vista do ocano pacífico na estrada para Iquique
Vista do oceano pacífico na estrada para Iquique

Porém, é um trajeto triste devido à quantidade de casas mal acabadas que vimos na estrada. Ficamos imaginando como seria possível as pessoas morarem nesses locais.

Casa praticamente sem paredes, na estrada para Iquique
Casa praticamente sem paredes, na estrada para Iquique
Iquique - Estrada 07
Mais residências, triste de observar. Estrada para Iquique

Onde se hospedar em Iquique

Descemos na rodoviária de Iquique e ainda não sabíamos onde nos hospedar.

Depois de rodar BASTANTE pela cidade nos informando de boca em boca, finalmente chegamos no Uma Jaqi Surf Hostel.

Nos hospedamos em um quarto privado por 25.000 CLP (R$151,51) o casal por noite, com direito a café da manhã.

A atendente do hostel foi super simpática e mostrou um certo espanto ao saber que não éramos surfistas.

Iquique não é uma cidade muito turística, e a maioria dos turistas que passam por lá, são os surfistas. Pois a cidade tem boas praias para se surfar.

Uma Jaqi Hostel
Uma Jaqi Hostel

Além de um ótimo e descontraído lugar para se hospedar, o Uma Jaqi Hostel também aluga pranchas, e dá aulas de surf para quem estiver interessado.

O que fazer em Iquique

Do ponto de vista turístico destacamos::

  • Visitar a cidade fantasma Humberstone Saltpeter declarada Patrimônio Mundial da UNESCO em 2005. Antiga cidade levantada para abrigar trabalhadores de fábricas salitreras, que hoje está abandonada. Para chegar lá é necessário ir com uma agência de passeios, pois fica bem na estrada;
  • Visitar zonas de extração de Nitrato (reservar passeio em agência de turismo);
  • Visitar o Parque Nacional Volcán Isluga, localizado a noroeste de Iquique, com  uma flora que une gêiseres, lagoas e rios, e sua principal atração, o Vulcão Isluga de 5.218 metros de altura! Para chegar lá, é necessário ir com agência de passeios;
  • Pra quem é fã de esportes aquáticos como surf e windsurf, Iquique é um prato cheio. Vale a pena passar nas praias Playa Bellavista ou Playa Cavancha;
  • Com mais de 400 lojas, Iquique é palco da maior zona franca da América do Sul, com o Mall Zofri. Quem estiver afim de comprar eletrônicos, utensílios domésticos, ou pequenas bugigangas, vale a pena passar por lá, o preço realmente vale a pena;
  • Visitar o Museo Coberta Esmeralda que homenageia a participação do exército chileno na Guerra do Pacífico;
  • Visitar o Mercado Portuário para saborear peixes frescos, mariscos, e dar de cara com lobos marinhos e pelicanos;
  • Iquique também é um dos melhores lugares do Chile para se pular de parapente, não apenas para profissionais com experiência, quanto para quem nunca realizou um pulo. Para isso vá até o Cerro Dragón, um lindo mirante no pico mais alto entre as dunas do Chile. Em um único “pulo” você voa do deserto até o mar do oceano pacífico.

Infelizmente não tínhamos muita idéia do que iríamos encontrar na cidade. E só quando acessamos a internet do hostel que nos informamos melhor sobre Iquique.

Como já era de noite, decidimos conhecer a vida praiana do lugar, e relaxar a mente pois ainda estávamos tensos por termos desistido de visitar o Salar de Uyuni.

Paseo Baquedano
Paseo Baquedano

Conhecer a cidade de Iquique também é bem fácil e rápido. A maioria das atrações turísticas da cidade estão localizadas no centro:

  • Paseo Baquedano: é o nome pelo qual é conhecida a Calle Baquedano, também um dos patrimônios nacionais chilenos desde 1977. No auge econômico da cidade (1880 a 1920) a rua foi palco de construções de verdadeiros palácios de madeira, influenciados por estilos estrangeiros. Utilizou-se muito o estilo estadunidense da época como inspiração para as construções. É por essa região que estão localizados a maioria dos restaurantes e agências de turismo.  De noite também é bem movimentado.
  • Plaza Arturo Prat: a principal praça de Iquique. Seu nome é em homenagem ao herói (do lado chileno) da Guerra do Pacífico. À sua volta reúne edifícios e construções consideradas como patrimônio histórico: a Torre del Reloj, Teatro Municipal, Cassino Espanhol e o Clube Croata. Desde 1977 a praça faz parte do conjunto de monumentos nacionais do Chile.
  • Playa Brava/Playa Cavancha: as duas principais praias da cidade, sendo que a mais indicada para banho é a Cavancha. A Playa Brava, como o próprio nome já diz, possui ondas bem fortes, e diversas pedras que a tornam um pouco perigosa.
Paseo Baquedano e seus encantos
Paseo Baquedano e seus encantos
Universidade na calle Baquedano
Universidade na calle Baquedano

Saímos do hostel e caminhamos pelo Paseo Baquedano e seus arredores, e achamos um lugar bem gostoso pra comer com o preço bem justo. Um prato com arroz salada e bife + uma porção de batata frita + uma cerveja de litrão nos custou 11.800 CLP (R$ 71,51).

Plaza Arturor Prat e a Torre del Reloj
Plaza Arturor Prat e a Torre del Reloj
Iquique - Janta
Cerveza Arequipeña!

Depois de comer, caminhamos até a estátua de O’Higgings, onde achamos o ponto de referência mais fácil para localizar a Playa Brava.

A vida noturna estava bem divertida com muitas pessoas aproveitando a noite para se exercitar em aparelhos distribuídos nas pequenas pracinhas na orla da praia.

Caminhamos até chegar na Playa Cavancha, que estava também bem movimentada a noite, com muitas barraquinhas na orla da praia, e nos arredores da cidade diversas opções de bares  e restaurantes.

Cerveza Arequipena!
Museu na Plaza Artur Prat

————————————————————————————————————————————————————–

Dia 08

Como chegar ao Cerro Dragón

Acordamos cedo e tomamos um café da manhã bem simples, com pão com presunto, café e iogurte (nada de muito MUITO gostoso).

Saímos do hostel por volta das 8h na esperança de encontrarmos passeio para Humberstone Saltpeter.

Por volta das 9h vimos uma agência abrir, e a moça nos informou que a reserva para o passeio tinha que ter sido feita com pelo menos um dia de antecedência.

Ficamos um pouco tristes e seguimos para o plano B do nosso dia. Ir para o Cerro Dragón.

Existem duas maneiras de chegar até lá:

  • Pegar um táxi (não me lembro exatamente do preço);
  • Pegar na frente do Mercado Municipal (que fica no centro de Iquique), um ônibus para Alto Hospício.

Optamos pela segunda opção, e pagamos 510CLP (R$3,09) na passagem.

Uma informação importante, o Cerro Dragón não fica exatamente em Iquique, mas sim em Alto Hospício. A outra comuna da Província de Iquique. E fique tranquilo que lá é só uma cidade, rs.

Planando no Cerro
É muito comum pular de parapaint no cerro dragon

História de Alto Hospício

Alto Hospício sempre teve sua história ligada aos acontecimentos de sua cidade vizinha Iquique.

Durante a Guerra do Pacífico, Alto Hospício era uma estação de trem para transporte de Nitrato, contando com um povoado que não passava de 2.000 pessoas.

Porém em 1990, Iquique recebeu diversos investimentos dando um BOOM ECONÔMICO, atingindo também a região de Alto Hospício, que tem hoje uma população de 94.455 habitantes.

O trajeto até Alto Hospício foi um tanto quanto engraçado e meio agoniante pois não tínhamos muita certeza do que estávamos fazendo, muito menos se seguíamos o caminho correto.

Depois de uns 35 min de ônibus, nos avisaram para descer, e logo que saímos do ônibus, foi bem… Digamos, esquisito. O lugar era bem pobre, praticamente uma favela. Ficamos chocados com essa desigualdade tão explícita.

Eram muitas casas simples e barracões, e muito lixo no meio do deserto, a sensação era de que o lixo produzido em Iquique era jogado em Alto Hospício. A desigualdade entre os lugares estava escancarada na nossa cara!

Essa sensação fez com que deixássemos de ver a beleza do mirante, ainda mais por perceber que as fotos que vimos na internet eram bem enganosas.

Porque se a foto fosse um pouco mais ampla mostrava toda a sujeira que subia para Alto Hospício.

Iquique a cidade no meio das dunas
Iquique a cidade no meio das dunas
Alto Hospício, a cidade esquecia da Província de Iquique
Alto Hospício, a cidade esquecia da Província de Iquique

Mercado das Pulgas em Alto Hospício

Para nossa surpresa TURISTAMOS SIM POR ALTO HOSPÍCIO!

Lá foi o lugar que vimos a MAIOR FEIRA DAS PULGAS DAS NOSSAS VIDAS! Literalmente uma feira do rolo GIGANTESCA!!!!

Estacionamento da feira das pulgas em Alto Hospício
Estacionamento da feira das pulgas em Alto Hospicio
Feira das pulgas em Alto Hospício
Feira das pulgas em Alto Hospicio
Feira das pulgas em Alto Hospício
Feira das pulgas em Alto Hospicio

Turista que somos almoçamos pelo lugar, é claro.

Um delicioso sanduíche acompanhado de pão e ovo, e refrigerantes bem autênticos! Tudo isso por 3.800CLP (R$ 23,03).

Um almoço memorável em Alto Hospicio
Um almoço memorável em Alto Hospicio
Servidos?
Servidos?

Mall ZOFRI

Por volta das 13h tomamos um ônibus de volta para Iquique com direção ao Mall Zofri, a maior zona franca da América do Sul.

Depois de uns 40 min chegamos no Zofri, e nos surpreendemos com a feiura do lugar. Um porto que nos transmitia a sensação de estarmos dentro da poluição.

Entramos no shopping que parece uma gigantesca 25 de março, e olhando os preços tinham coisas que realmente valiam a pena, principalmente eletrônicos.

Mas para não sair sem comprar nada, ostentamos e compramos DUAS PRINGLES por 1.000 CLP (R$ 6,06) !!!!

Para sair do Mall Zofri é meio caótico. Não conseguimos nos informar que ônibus teríamos que pegar, então começamos a ouvir um taxista nos chamar.

Nós falamos que iríamos até a Plaza Arturo Prat, e entramos no táxi com outras duas pessoas. Foi tudo muito rápido! Pagamos 1.020CLP (R$ 6,18) e chegamos a salvo na praça.

(não tiramos fotos no ZOFRI =/)

Playa Cavancha

Ainda tínhamos um tempinho até anoitecer. Passamos no hostel, e de lá saímos em direção a Playa Cavancha para aproveitar o final da tarde.

No caminho compramos algumas cervejas nos mercadinhos próximos ao hostel. Outra dica é guardar a garrafa da cerveja pra retornar no mesmo lugar que comprou.

No Chile ao comprar a cerveja/refrigerante (acho que qualquer garrafa de vidro), o comerciante pede que você deixe um valor a mais pela garrafa para ele. E caso você devolva a garrafa, ele te devolverá também esse valor.

Iquique - Playa Brava
Não é recomendado se banhar na Playa Brava
Indo enxer a cara na Playa Cavancha
Indo enxer a cara na Playa Cavancha

Tomamos cerveja, brincamos um pouco com um dog dog que apareceu, então tomamos coragem para sentir na pele as geladas águas do pacífico. E comprovei que a água é sim EXTREMAMENTE GELADA!

Depois de anoitecer, Mari foi para o hostel e eu sai para buscar a janta no mesmo lugar que havíamos comido no dia anterior, nos arredores da Calle Baquedano.

Paguei 4.000CLP (R$ 24,24) no prato de Pollo en La Plancha, um P.F na língua dos paulistanos, arroz, salada, batata frita e filé de frango.

Comemos na parte de cima do hostel que dava uma ótima vista para o mar. E assim acabou nossa passagem por Iquique.

Good Bye Iquique
Goodbye Iquique

Dia Anterior | Próximo Dia

Paulistano de 26 anos, que ainda mora em São Paulo, e trabalha como Analista de Sistemas. Alguém que só percebeu o tamanho do mundo quando colocou pela primeira vez a mochila nas costas, e a partir de então passou a enxergar o mundo em uma outra perspectiva. Uma perspectiva menos “de eu” e mais “de todos”. Uma pessoa que vive em uma utopia de crer que o mundo pode ser um lugar diferente.

Deixe uma resposta

Top