Bolívia em 04 dias – Dia 01 em La Paz

Resumo do relato completo:

Dia 01: Como chegar em La Paz, História de La Paz, Rodoviária de La Paz e Onde não se hospedar em La Paz

Dia 02Onde não se hospedar em La Paz, Onde se hospedar em La Paz, O que fazer em La Paz, Plaza Murillo, Mercado de las Brujas, Quem são as cholas bolivianas?, Onde comer em La Paz, Como chegar ao Teleférico de La Paz e Mirador Laikakota

Dias 03 e 04Como chegar em Copacabana, Informações sobre Copacabana, Curiosidades sobre o Lago Titicaca, Onde se hospedar em Copacabana, O que fazer em Copacabana, Como chegar em Isla del Sol, Onde comer em Copacabana, O QUE FAZER QUANDO PASSAR MAL EM OUTRO PAÍS, De Volta para La Paz, Hora de partir e Resumo dos Gastos

————————————————————————————————————————————————————–

Como chegar em La Paz

No mesmo dia estávamos em Arica, norte do Chile, onde pegamos um ônibus para La Paz.

A viagem havia sido vendida com uma duração de 8 horas, mas no final das contas levamos 11 horas para chegar, rs. A passagem foi 8.000 CLP (R$48) para cada.

A paisagem da estrada boliviana era linda, muitos lagos e montanhas, e vegetações bastantes diferentes das que costumamos ver no Brasil.

Também vimos muitos camponeses e muros com propagandas de operadoras de telefone e de políticos.

Estrada da Bolívia
Estrada da Bolívia

Na poltrona ao lado das nossas no ônibus, estava sentado um senhor boliviano que há 10 anos trabalhava em Arica, e em suas férias ia visitar os parentes em La Paz.

Durante toda a viagem pelo Chile, as pessoas que haviam feito o caminho contrário ao nosso, saindo da Bolívia e indo para o Chile, falavam muito mal dos bolivianos, diziam que eram arrogantes e mal educados.

Mas esse senhor, que não sabemos por qual razão começou a puxar assunto com a gente, já começou nos mostrando o contrário.

Ele ficou perguntando sobre nós, sobre o nosso país, e ficou falando sobre o que poderíamos ver em La Paz.

Disse sobre El Alto, uma cidade um pouco mais pobre que fica acima de La Paz e onde fica o aeroporto, falou que por lá existiam muitos peruanos e que era para tomarmos cuidado pois eles roubavam (tanto no Chile, como na Bolívia eles demonstraram muito preconceito com os peruanos), disse do teleférico de La Paz e que não poderíamos deixar de visitá-lo.

Ficava nos dando dicas cheio de orgulho de sua cidade.

Muito interessados sobre a história e política da América Latina, perguntamos a ele o que achava de Evo Morales. E ele nos respondeu (em espanhol):

– No começo foi muito bom, mas com o tempo não foi ficando tão bom mais.

O poder não se nega a ninguém.

História de La Paz

La Paz é a cidade mais populosa e a sede do governo da Bolívia, fica a 3.660 metros de altitude, sendo conhecida como uma das cidades mais altas do mundo. Tem aproximadamente 2.087.597 habitantes.

A cidade está entre um vale profundo rodeado por montes e montanhas de grande altitude pertencentes à Cordilheira dos Andes. O que dá ao lugar paisagens bastantes interessantes, e uma temperatura média de 8°C.

Bolívia 02
Estrada na Bolívia

A cidade de La Paz era habitada por povos tiwanakotas, collas e incaicos, conforme demonstram escavações arqueológicas.

Em 1535 foi avistada pelo espanhol don Juan Saavedra, que iniciou o processo de colonização do lugar. La Paz só foi se tornar independente em 1809.

Chegando em La Paz pudemos ver um pequeno congestionamento na cidade de El Alto.

E quando passamos pelo teleférico, o senhor com quem estávamos conversando e um jovem que estava atrás de nós começaram a nos bombardear de informações para terem certeza de que subiríamos nele, haha. Achei bonitinho.

Telefericos de La Paz
Teleférico de La Paz (no dia seguinte)

Rodoviária de La Paz

Já na rodoviária de La Paz, que fica na Av. Peru, pegamos um táxi para a hospedagem que havíamos reservado pelo Airbnb, o Landscape B&B Home. Que virou Casa Maya.

Como no Chile, em alguns países é mais barato buscar um quarto de casal pelo Airbnb do que em um hostel. E esse lugar em especial tinha uma vista muito legal para a Cordilheira dos Andes.

Onde não se hospedar em La Paz

Levamos mais ou menos uns 30 minutos para chegar lá e pagamos 30 bolivianos (R$17). Chegando na Casa Maya aconteceu o seguinte.

Tinha um casal na nossa frente, esperamos eles serem atendidos para sermos atendidos depois. Eles foram levados para o quarto deles (haviam conseguido um lugar para eles, segundo o que disse um dos atendentes).

Depois os dois funcionários responsáveis pela recepção ficaram olhando para o computador enquanto esperávamos ser atendidos. Até que tive que falar para eles que estávamos ali. HOLA!

Foram olhar nossa reserva, descobriram que estávamos com o quarto trocado, e em um outro lugar.

Mas a moça da recepção disse que lá era melhor, que era no centro, e tinha um cinema na frente que estava com promoção no final de semana. E que nos pagaria um táxi para nos levar até lá.

Na hora ficamos tranquilos, ela tinha falado que era melhor!

Mas no caminho começou a me cair a real “Porra, eu tinha reservado lá justamente por causa da vista das montanhas, agora a gente não vai ter!”. Mas tudo bem, vai que o lugar é melhor mesmo!

La Paz
La Paz (no dia seguinte)

Nos levaram para um prédio onde não tinha ninguém nos esperando. O Doug teve que descer do táxi e chamar o cara na portaria.

O cara desceu, e sem o dinheiro do táxi, ou seja, pagamos o táxi.

Mas tudo bem, o cara era gente fina e nos levou para o outro lugar que era um apartamento em uma área de alto padrão em La Paz.

Chegamos lá o wi-fi não funcionava, chamamos um casal de alemães que estavam hospedados também no apartamento, eles nos passaram todas as senhas possíveis, mas nenhuma funcionou em nossos celulares (um iOS e um Android).

O cara da hospedagem disse que iria verificar o que poderia ser, e depois voltaria. Mas tudo bem era um apartamento novinho.

Ficamos conversando com o casal de alemães, bebemos umas cervejas no terraço que tinha em frente ao apto, e do qual para chegarmos tínhamos que pular a janela de nosso quarto.

Depois fomos comer só nós dois em um shopping que tinha logo na frente. No shopping vimos muitos adolescentes passeando, igualzinho no Brasil!

Voltamos para a hospedagem e percebemos que o cara do wi-fi não havia voltado. Tudo bem, estávamos mesmo na hora de descansar.

Mas fomos descansar com um pouco de revolta, não tínhamos mais a vista das montanhas, estávamos em uma área nobre que não nos mostrava o que gostaríamos de ver em La Paz. E o cinema na frente, não nos faria muita diferença.

Mas tudo bem, vamos tentar descansar.

E a noite foi quebrada várias vezes com o desconforto e a insônia que nos fazia assistir Pica-pau de madrugada na televisão aberta da Bolívia. E por que?

Dia Anterior | Próximo Dia

Autor do Post
Mari Sanefuji
Joseense de 24 anos, que há 6 anos decidiu se mudar para São Paulo para trabalhar no ramo da Publicidade como Gestora de Mídias Sociais. Posso me descrever como uma mente inquieta sempre em reflexão sobre o mundo, e sobre a mim mesma.

COMENTÁRIOS

1 Comentário
  1. escrito por
    Bolívia em 04 Dias – Dias 03 e 04 em Copacabana
    fev 12, 2017 Responder

    […] Dia 01: Como chegar em La Paz, História de La Paz, Rodoviária de La Paz e Onde não se hospedar em La Paz […]

Deixe uma resposta

Top