Assim será o Museu da Cannabis de Montevidéu que inaugurou nesta sexta-feira

O chamado “Museu da Cannabis de Montevidéu” (MCM) começou a funcionar em 9 de Dezembro “como forma de continuar a rica história das liberdades que o Uruguai sempre adotou de forma vanguardista”, indica um comunicado de imprensa.

“É uma maneira de conectar pessoas que amam a natureza, a arte e a ciência”, disse o diretor do museu, Eduardo Blasina.

O museu apresenta “uma viagem a um dos cultivos mais antigos do mundo, que será sem dúvida uma das plantas mais importantes do terceiro milênio por suas propriedades medicinais e pela reconstituição do solo”, explicou Blasina.

O centro tem respaldo de Amsterdam, o Hash Marihuana e Hemp Museum, que contribuiu com materiais que serão exibidos no lugar.

O MCM estará localizado na rua Durazno 1785, esquina com Yaro, na zona de Palermo e em uma casa que forma parte da história montevideana, já que foi sede do clube de futebol Mar de Fondo.

Segundo indica o museu em seu website, esta casa foi um lugar de visita frequente do músico Eduardo Mateo e de outros como Jaime Ross, os irmãos Fattoruso e Mariana Ingold.

Contam a história de que “a visita frequente de Mateo está documentada em uma canção homenagem de Jaime Ross, titulada precisamente de siestitas de Mar de Fondo em que participam Osvaldo Fattoruso e Mariana Ingold”.

O museu oferecerá diferentes atividades e contará com uma loja, mas também permitirá compras pela internet. Segundo o website, também funcionará uma cafeteria e bar, com distintos menus.

O Uruguai aprovou em 2013 uma lei que permite o cultivo de maconha para consumo próprio em casa e a formação de clubes de cultivadores para plantar de forma cooperativa, e busca implementar uma inédita venda de maconha legal produzida por grupos privados sobre controle estatal através da rede de farmácias uruguaias.

Este último aspecto da lei é a que está sendo mais dificultada pelo governo de Tabaré Vázques, que anunciou a abertura do registro de consumidores para começar a venda ao  público este ano, mas não conseguiu implantá-la.

Vázquez assinalou que, ao contrário do que esperava o governo, essa iniciativa contida na lei será para o ano de 2017.

Tradução de El País.

Autor do Post
Mari Sanefuji
Joseense de 24 anos, que há 6 anos decidiu se mudar para São Paulo para trabalhar no ramo da Publicidade como Gestora de Mídias Sociais. Posso me descrever como uma mente inquieta sempre em reflexão sobre o mundo, e sobre a mim mesma.

COMENTÁRIOS

1 Comentário
  1. escrito por
    Montevidéu em 03 dias – Dias 01 e 02 – Blog Vamos pro Mundo
    fev 11, 2017 Responder

    […] vezes, ouvimos falar sobre a legalização da maconha no Uruguai, e pensávamos que tudo já estaria funcionando conforme foi […]

Deixe uma resposta

Top