Arraial do Cabo em 03 dias – Dia 02

Resumo do relato completo:

Dia 01História de Arraial do Cabo, Como chegar em Arraial do Cabo, Onde se hospedar em Arraial do Cabo, Como chegar na Praia do Forno, Como chegar em As Prainhas

Dia 02: Resistindo a um temporal no camping, A Prainha de Arraial do Cabo e Jantar Mochileiro no camping

Dia 03Como fazer passeio de barco em Arraial do Cabo, Praia do Farol, A Fenda e As Prainhas e Resumo dos Gastos

————————————————————————————————————————————————————–

No dia seguinte eu e Doug acordamos mais cedo que Marcelo e Maria, e saímos para tomar café da manhã em alguma padaria.

Nenhuma padaria de Arraial do Cabo tinha pão de queijo. Mas em uma delas o dono disse que estavam assando e se esperássemos poderíamos comer.

Esperamos e chegaram aqueles pãezinhos de queijo pequenininhos de forno, rs.

Resistindo a um temporal no camping

Voltamos para o camping para encontrar Marcelo e Maria, e quando decidimos colocar o pé para fora, começou a cair um temporal.

Segundo o pessoal do camping, estávamos sentindo os ventos do noroeste, o pior tipo de vento que pode aparecer em Arraial do Cabo. Aquele que destelha casas e derruba árvores.

Posteriormente pudemos ver o estrago pela cidade. Mas em nosso camping só vimos barracas voando de um lado para o outro, desmontando, e roupas sendo encharcadas.

Por sorte nossas barracas ficaram intactas e não molharam por dentro, por isso é importante investir no equipamento que comprar.

Nossas barracas eram uma Arpenaz XL 2pessoas da Quechua e uma Quickhiker ultra 3 pessoas da Quechua. São um pouco mais caras que as convencionais, mas não te deixam na mão.

Ainda mais quando você pretende acampar mais de uma vez.

Quechua
Nossas barracas resistentes aos ventos do noroeste

Uma galera teve que sair do camping por que ficou sem barraca e ficou sem saber para onde iria.

Pois os hostels e pousadas de Arraial do Cabo estavam cobrando muito caro pela estadia deles sabendo do ocorrido.

O pessoal do camping também se demonstrou bastante preocupado com os barcos que haviam saído para passeio e estavam no mar durante a tempestade de Arraial do Cabo.

Acharam que foi falta de responsabilidade da marinha que não deveria ter permitido os passeios naquele dia.

No dia seguinte vimos um barco encalhado na Praia do Farol, e os moradores tentando tirá-lo de lá.

A Prainha de Arraial do Cabo

Sem muito o que fazer, depois de esperar a chuva, saímos a pé do camping e fomos para a Prainha de Arraial do Cabo.

Levamos uns 30 minutos para chegar a essa praia que é muito mais local, e menos turística.

Lá a água não é tão clara, a areia não é tão branquinha, e se ouve aquela agradável música alta, rs.

A Prainha de Arraial do Cabo
A Prainha de Arraial do Cabo

Mas no final da Prainha à direita, você encontra uma trilha que te leva mais para longe da cidade e para mais perto do mar.

Uma trilha bem tranquila que nos possibilitou poder contemplar o mar sem o barulho do som alto na cidade. E conseguir ver algumas tartarugas nas ondas da praia!

A Prainha Arraial do Cabo
A Prainha de Arraial do Cabo
A Prainha de Arraial do Cabo
A Prainha de Arraial do Cabo

Jantar mochileiro no camping

De volta para o camping, preparamos nosso miojo a bolonhesa acompanhado de um vinho gaúcho e um fernet (bebida argentina que a Maria, que também é argentina, ganhou de um colombiano que estava no camping) em nosso fogareiro, já que o camping não tinha cozinha!

Nosso miojo a bolonhesa
Nosso miojo a bolonhesa

Dia Anterior | Próximo Dia

Autor do Post
Mari Sanefuji
Joseense de 24 anos, que há 6 anos decidiu se mudar para São Paulo para trabalhar no ramo da Publicidade como Gestora de Mídias Sociais. Posso me descrever como uma mente inquieta sempre em reflexão sobre o mundo, e sobre a mim mesma.

Deixe uma resposta

Top