03 Dias em Barreirinhas – Lençóis Maranhenses – Dia 01

Dias 01: Como chegar, Como conhecer, Onde se hospedar, História de Barreirinhas, O que são os Lençóis Maranhenses, Quando ir, O que fazer, Lagoa Bonita e Festa Junina.

Dia 02: Vassouras, Mandacaru, Caburé, e final de tarde em Barreirinhas.

Dia 03: Lagoa Azul, Almoço e Volta para casa

——————————————————————————————————————————————————————

Quando o ano de 2016 se iniciou, uma das metas que havíamos colocado para nós, era conhecer os Lençóis Maranhenses. E hoje, nos sentimos muito contentes de termos a alcançado 🙂

Como chegar nos Lençóis Maranhenses

Para chegar aos Lençóis Maranhenses, é necessário pegar um avião de São Paulo até São Luís (capital do Maranhão), e depois pegar um ônibus ou transfer para Barreirinhas. Uma das cidades que dá entrada para os Lençóis Maranhenses.

Existem outros vilarejos que ficam próximos da entrada de Lençóis Maranhenses, os vilarejos de Santo Amaro e Atins. Mas por não serem a entrada principal, e serem um pouco mais complexos de se chegar, optamos por ficar em Barreirinhas.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

Pegamos um avião no aeroporto de Guarulhos em uma sexta-feira à noite, às 21h35 e pagamos R$597,80 cada, ida e volta. Chegamos em São Luís às 00h55, e pegamos um táxi direto para o hostel onde nos hospedaríamos, o Hostel Tijuana. O táxi ficou R$60, e levou 20 minutos.

O Hostel Tijuana fica em uma área residencial de São Luís, um local bastante tranquilo, e que de carro fica bem próximo do centro histórico. Havíamos reservado uma diária apenas para dormir, e pegar um transfer para Barreirinhas no dia seguinte, às 7h.

Era um hostel bastante descolado, tranquilo, com uma galera muito gente boa, e que custou R$55 a diária para cada um, em um quarto para 8 pessoas.

Para chegar até Barreirinhas, existem alguns ônibus urbanos que saem em horários determinados da rodoviária, e de alguns locais da cidade. Mas como estávamos com o tempo bastante apertado, decidimos fechar um transfer.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

Pesquisando pela internet, vimos que a maioria das empresas que fechavam transfers de São Luís para Barreirinhas, também fechavam passeios em Barreirinhas (é recomendado fazer os passeios de guia). E se fechássemos tudo com a mesma empresa, conseguiríamos bons descontos.

Por isso, decidimos fechar tudo com a São Paulo Ecoturismo, uma das empresas mais conhecidas de Barreirinhas. Onde fechamos todos os nossos transfers e passeios, e ainda fizeram um bom desconto para nós.

São Paulo Ecoturismo Lençóis Maranhenses
São Paulo Ecoturismo em Barreirinhas

Este serviço de transfer te pega na porta da sua hospedagem em São Luís, e te deixa na porta da sua hospedagem em Barreirinhas. O microônibus que nos buscou, era para passar no hostel às 7h, mas acabou passando lá pelas 7h30, e nos deixou em Barreirinhas lá pelas 12h. Pagamos R$60 cada.

Como conhecer os Lençóis Maranhenses

Os Lençóis Maranhenses são gigantescos, chegam a ter 156.584 ha, e por isso não é recomendado conhecê-los sem a presença de um guia. Existem muitas histórias de pessoas que decidiram passear pelos lençóis sozinhas, e ficaram perdidas por dias.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

E ficar perdido nos Lençóis Maranhenses não é fácil, primeiro porque lá não tem sombra, o que pode causar diversas queimaduras na pele devido à exposição ao sol. Não tem habitações e muito menos comércio. As dunas te deixam perdido, sem noção de localização nenhuma.

Por isso, não se arrisque! Existem muitas agências de turismo em Barreirinhas que te levam por preços acessíveis para os lugares mais bonitos dos Lençóis Maranhenses.

Como mencionei acima, decidimos fechar todos os passeios com a São Paulo Ecoturismo, e como teríamos apenas 3 dias (o que não era suficiente para a quantidade de passeios que eles oferecem), decidimos fazer os principais:

  • Lagoa Azul – R$50 cada – 4 horas de passeio
  • Lagoa Bonita – R$60 cada – 4 horas de passeio
  • Caburé (Vassouras, Mandacaru e Caburé) – R$50 cada – dia inteiro

Onde se hospedar em Barreirinhas

Barreirinhas não tem muitas opções de hostel, e a opção mais famosa é a Casa do Professor, mas acabamos ficando no Hostel Em Boas Mãos. Que estava há 10 minutos andando do centro de Barreirinhas, e onde pagamos R$80 a diária de um quarto de casal com café da manhã incluso.

Café da manhã Hostel em Boas Mãos
Café da manhã Hostel em Boas Mãos

Quem comanda o Hostel Em Boas Mãos é a Cineide, que é natural de Barreirinhas e luta para manter o hostel ativo como fonte de renda para sua família. Por não ter muita estrutura, o hostel é bem simples e sem luxo.

Mas a simplicidade do local, e a simpatia de Cineide te fazem se sentir completamente em casa!

Hostel em Boas Mãos
Sala do Hostel em Boas Mãos

Ela preparava o café da manhã todos os dias para a gente, com tapioca, pão, frutas, sucos, várias coisas. Sempre nos desejava bom passeio, e quando voltávamos perguntava como tinha sido. Conversava com a gente, contava suas histórias, nos tratava como filhos.

Pôr do sol nos Lençóis Maranhenses
Pôr do sol nos Lençóis Maranhenses

Além de ter pago super barato, ainda pudemos contar com as dicas e a companhia de Cineide em algumas horas, valeu super a pena.

História de Barreirinhas

Até o século XVI, a região de Barreirinhas era habitada pela etnia indígena potiguara, que morava nas margens do Rio Preguiças. Mas com a chegada dos portugueses no séc XVI, Barreirinhas foi tomada pelos europeus que exploraram a região para a pesca e agricultura, principalmente da cana-de-açúcar.

Em 14 de junho de 1871 criou-se o Distrito de Barreirinhas, e em 29 de março de 1938 (data em que se comemora o aniversário da cidade), Barreirinhas sofreu emancipação.

Antigamente a principal via de acesso à cidade de Barreirinhas era o Rio Preguiças por barcos à vela. Levando dias para chegar de São Luís.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

Mas na década de 70 a cidade experimentou o primeiro surto de mudanças sociais, provocadas pela descoberta do potencial petrolífero e gás da região. Na década de 1990, surgiu um novo surto de crescimento através da ampla divulgação das belezas naturais da região.

O nome Barreirinhas, segundo moradores mais antigos, é devido às paredes de barro (argila) que existem às margens do Rio Preguiças.

Hoje, o município de Barreirinhas possui uma área de 3.111km2, e fica a 253km de São Luís. Sua população é de aproximadamente 53.746 habitantes.

O que são os Lençóis Maranhenses

Os Lençóis Maranhenses são o maior campo de dunas da América do Sul, com uma área de 155 mil ha, quase a mesma da cidade de São Paulo. E se transformou em Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses em Junho de 1981, a fim de preservar o local.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

De sua área total, 90 mil são dunas livres e lagoas interdunares. No restante, é possível encontrar vegetação de restinga, manguezais, e praia!

Os Lençóis Maranhenses abrangem três municípios maranhenses: Barreirinhas, Santo Amaro e Primeira Cruz. E seu nome vem da deslumbrante imagem proporcionada para quem o observa do alto (de avião), pois se assemelha a um lençol branco, cheio de dobras, jogado com desleixo sobre a cama.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

Mas como os Lençóis Maranhenses surgiram? Um grupo de físicos descobriu que eles parecem existir por conta de uma simples coincidência entre o ritmo anual de subida e descida do nível de seu lençol freático, e a intensidade com que o vento vindo do mar faz as dunas crescerem e se movimentarem.

E diferentemente de outros desertos, os Lençóis Maranhenses recebem relativamente muita água, até 2 mil milímetros de precipitação anual.

É quando a água da chuva é absorvida rapidamente pela areia, elevando o lençol freático acima do chão e enchendo as lagoas temporárias entre as cadeias de dunas.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

Quando ir nos Lençóis Maranhenses

Para visitar os Lençóis Maranhenses, é necessário se programar. A não ser que você queira visitá-los sem a presença das lindas lagoas que compõem o inesquecível cenário das fotos…

O que acontece é que a grande maioria das lagoas dos Lençóis Maranhenses não são perenes, ou seja, são temporárias. Elas se enchem por conta das chuvas, e depois de um tempo acabam se secando.

Por isso, é recomendado conhecer os Lençóis Maranhenses de Junho a Novembro, quando já se passou a época de chuva, e as lagoas estão cheias. É importante notar também, que após Junho, quanto mais tempo se passa, mais rasas vão ficando as lagoas.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

O que fazer nos Lençóis Maranhenses

Entrando por Barreirinhas, é possível fazer:

  • Circuito da lagoa Azul: este é o circuito mais visitado do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Contratando um serviço de turismo, eles percorrem 12km em uma jardineira (um carro 4×4 que cabe 12 pessoas) até a entrada da duna principal.O passeio segue a pé (pois o carro não pode percorrer mais) pelo campo de dunas em uma trilha de aproximadamente 2km, e é possível visitar a lagoa da Preguiça, a lagoa da Esmeralda, a lagoa Azul e a lagoa do Peixe (uma lagoa perene).
  • Circuito da lagoa Bonita: contratando um serviço de turismo, eles percorrem 15km em uma jardineira até a entrada da duna principal, uma duna íngreme de cerca de 30m de altura. Parece difícil subir a duna, mas não é! rs.E após subir a duna, o esforço é rapidamente recompensado, pois te garante uma bela vista do campo de dunas e lagoas que é os Lençóis Maranhenses. Neste passeio se visita a lagoa Bonita, e a lagoa do Clone, que tem esse nome pois foi um dos cenários da novela “O Clone”, da Globo.

    Passeio da Lagoa Bonita
    Passeio da Lagoa Bonita
  • Lagoa da Esperança: é a interrupção do curso do Rio Negro provocado pelo encontro com o campo de dunas. É uma lagoa perene que não se situa dentro do campo de dunas, mas na borda delas, e que faz limite entre os municípios de Barreirinhas e Santo Amaro.
  • Atins: o povoado de Atins fica localizado em frente a foz do rio Preguiças, fora do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Mas fica bem próximo do mesmo, o que possibilita que você caminhe pela praia, pela restinga e pelas dunas. O povoado possui estrutura simples, e é procurado por visitantes que buscam tranquilidade e um contato mais íntimo com a natureza e a comunidade local. Por lá, é possível praticar esportes como kite-surf, wind-surf, caiaque, stand up paddle, surf, e outros.
  • Canto dos Lençóis: localizado dentro do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, é um pequeno povoado formado por pescadores tradicionais com uma bela vista do campo de dunas, e da praia. Lá não existe energia, mas há restaurantes comunitários que servem comida típica e oferecem hospedagem simples. É um ótimo ponto de apoio para iniciar o trekking e cruzar o campo de dunas até o município de Santo Amaro.
  • Foz do Rio Negro e lagoa Verde: neste roteiro o encontro do rio Negro com o mar é o principal atrativo, onde o visitante pode se banhar nas pequenas cachoeiras a beira mar. Este circuito fica disponível apenas quando o rio Negro tem água. É possível visitar também a lagoa Verde, próxima a praia, há 30 min de caminhada pelo campo de dunas.

Entrando por Santo Amaro, é possível fazer:

  • Lagoa da Gaivota: distante 2km de Santo Amaro, é o principal atrativo do município, e é considerada a paisagem mais bonita do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.
  • Lagoa da Betânia: trata-se de um curso de rio interrompido pelo campo de dunas, que fica no povoado da Betânia, onde oferece alguns serviços básicos.
  • Lagoa das Emendadas: é acessível apenas por caminhada, e são várias lagoas interdunares que se ligam e chegam a somar km de extensão.
  • Praia da Travosa: próxima do povoado Travosa, uma comunidade pesqueira, a praia da Travosa apresenta grande extensão, e é conhecida por organizar em Abril um campeonato de surf.

Entrando pela Zona Primitiva, é possível fazer:

  • Queimada dos Britos e Baixa grande: localizadas no interior do campo de dunas, do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, são duas manchas de vegetação de restinga, que se assemelham a um oásis, que são perfeitas para pernoite daqueles que buscam realizar o trekking de travessia, que chega a durar 5 dias.

Por lá existem cerca de 30 famílias, e uma diversidade de vegetação e aves. É um dos melhores atrativos para se entrar em contato com a comunidade local.

Lagoa Bonita

Logo que chegamos em Barreirinhas, Cineide nos recebeu e orientou o seu filho a nos levar para um restaurante acessível da cidade. Pagamos R$15 para comer à vontade em um local simples, e voltamos para o hostel para dar uma cochilada.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

Todos os passeios que havíamos contratado, o guia nos buscaria no hostel com a jardineira (o veículo que eles utilizam para quase todos os tours de lá). O nosso estava marcado para as 14h30.

A jardineira é como uma caminhonete, onde a parte traseira tem 3 fileiras de bancos que acomodam até 12 pessoas no total. Essa parte traseira é aberta e alta, possibilitando que você visualize todo o caminho, sinta a brisa e os ventos constantes de lá. E mais, sinta os galhos de árvores batendo em você, haha.

Lençóis Maranhenses
Fila de jardineiras para pegar a balsa que atravessa o Rio Preguiças

Mas não há o que ter medo, é super tranquilo, e gostoso andar nela 😉

E para o passeio da Lagoa Bonita, normalmente existem 2 horários. Um na parte da manhã, e outro na parte da tarde. Resolvemos deixar este passeio para fazer no período da tarde, pois lemos que era o melhor passeio para presenciar o pôr do sol.

Pôr do sol nos Lençóis Maranhenses
Pôr do sol nos Lençóis Maranhenses

Depois da jardineira ter passado em todos os hotéis para pegar todas as pessoas que iriam conosco no passeio, o guia parou em um mercado para que as pessoas pudessem comprar o que fosse necessário. Compramos água e uns salgadinhos (caso batesse a fome).

Na jardineira vai também uma caixa térmica, para a gente colocar as bebidas que quisermos. Só não é permitido levar bebidas alcoólicas.

O passeio da Lagoa Bonita se diferencia dos demais pelos seguintes fatores:

1 – É necessário subir uma duna íngreme de cerca de 30m de altura para ter acesso às lagoas. Mas tem uma cordinha que ajuda a subir essa duna. E olha, não é difícil. Não se assuste. E jamais desista de fazer o passeio por isso! É rapidinho.

Lagoa Bonita
Subida para a Lagoa Bonita

2 – Como você já inicia o passeio de um local alto, você consegue ter uma visão de cima das dunas e lagoas, uma visão privilegiada dos Lençóis Maranhenses. Por este motivo, este é um dos melhores passeios para se apreciar o pôr do sol.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

3 – As lagoas a serem visitadas são a lagoa Bonita e a lagoa do Clone. A lagoa do Clone é conhecida por ter sido cenário da novela “O Clone”. Aquela novela da Jade, que era marroquina, da Globo. Lembra?

A primeira parada é a travessia de balsa do Rio Preguiças. Quase todos os passeios você tem que fazer essa travessia. Ela é bem rápida e tranquila.

Rio Preguiças
Balsa que atravessa o Rio Preguiças
Rio Preguiças
Travessia do Rio Preguiças

Depois de 15km de estrada, uma estrada de areia, com arbustos dos dois lados, com a jardineira passando dentro de rios rasos e poças, em uns 40 minutos, chegamos à duna gigantesca que teríamos que subir.

Estrada para os Lençóis Maranhenses
Estrada para os Lençóis Maranhenses

Foi cansativo subir os 30m de duna? Foi um pouquinho. Mas foi recompensador? DEMAIS! Logo que vimos a paisagem do lugar, ficamos super animados. Nunca tínhamos visto algo igual.

De início já havíamos sentido a grandiosidade dos Lençóis Maranhenses, e eu particularmente me senti no lugar mais bonito que eu já havia visto.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

O passeio se dá por várias lagoas, onde podemos nadar e tomar um vento na cara. As lagoas não estavam muito cheias, cobrindo até a cintura mais ou menos. A profundidade das lagoas é consequência da quantidade de chuvas no ano.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

A água era fria (não era gelada), e super transparente. Foi uma delícia nadar nas águas dos Lençóis Maranhenses 🙂

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

Após mais ou menos 3 horas de passeio, pudemos apreciar o lindo pôr do sol dos Lençóis Maranhenses, e perceber que por lá, não há anoitecer.

Pôr do sol nos Lençóis Maranhenses
Pôr do sol nos Lençóis Maranhenses
Pôr do sol nos Lençóis Maranhenses
Pôr do sol nos Lençóis Maranhenses
Pôr do sol nos Lençóis Maranhenses
Pôr do sol nos Lençóis Maranhenses
Anoitecer nos Lençóis Maranhenses
Anoitecer nos Lençóis Maranhenses

Na volta para a jardineira, tinham algumas barraquinhas vendendo tapiocas, bebidas, água de coco, algumas coisinhas para matar a fome. Entramos na jardineira, e fizemos o caminho de volta. No ponto de embarque da balsa, também tinham várias barraquinhas vendendo tapiocas, e bebidas, e alguns artesanatos.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

Festa Junina

O pessoal da agência nos deixou na frente do hostel, tomamos um banho, e perguntamos a Cineide onde tinha uma festa junina.

Estávamos na época de festa junina, e o Maranhão tem muitas festas típicas.

Naqueles dias estavam acontecendo duas festas juninas em Barreirinhas, uma da igreja, que estava longe do hostel, e uma na rua do hostel. Decidimos ir na festinha mais perto, e quando chegamos lá, vimos que o público era completamente local!

Não tinha muita coisa para comer, era mais batata frita, galinhada, e uns lanches, mais pudemos compreender melhor a cultura local, e ver crianças e adolescentes dançando. Foi gostoso 🙂

Depois, retornamos para o hostel, para dormir e descansar.

Lençóis Maranhenses
Lençóis Maranhenses

Ver próximo dia >

Autor do Post
Mari Sanefuji
Joseense de 24 anos, que há 6 anos decidiu se mudar para São Paulo para trabalhar no ramo da Publicidade como Gestora de Mídias Sociais. Posso me descrever como uma mente inquieta sempre em reflexão sobre o mundo, e sobre a mim mesma.

COMENTÁRIOS

2 COMENTARIOS
  1. escrito por
    Lençóis Maranhenses – Vassouras, Mandacaru e Caburé
    jan 7, 2017 Responder

    […] Dia 01: Como chegar, Como conhecer, Onde se hospedar, História de Barreirinhas, O que são os Lençóis Maranhenses, Quando ir, O que fazer, Lagoa Bonita e Festa Junina. […]

  2. escrito por
    Conheça a Lagoa Bonita nos Lençóis Maranhenses
    jan 18, 2017 Responder

    […] Dia 01: Como chegar, Como conhecer, Onde se hospedar, História de Barreirinhas, O que são os Lençóis Maranhenses, Quando ir, O que fazer, Lagoa Bonita e Festa Junina. […]

Deixe uma resposta

Top